Igor Giannasi/Estadão
Igor Giannasi/Estadão

Caiaque ou cavalo para contemplar a natureza de Chiloé

Um passeio na Península de Rílan, uma área rural de belas paisagens na cidade de Castro

Igor Giannasi, O Estado de S. Paulo

18 Abril 2017 | 04h30

CASTRO - Café da manhã tomado, agasalho – de preferência, impermeável – no corpo, é hora de ir para a entrada do hotel, ponto de encontro para a excursão. Em um grande mapa estilizado do arquipélago de Chiloé, o guia nos localiza: estamos na Península de Rílan, uma área rural de belas paisagens na cidade de Castro. Passa um pouco das 9 da manhã e o grupo ali reunido se dirige a um pequeno cais logo abaixo do prédio.

Os trajetos entre as cidades e ilhas de Chiloé nos passeios oferecidos pelo hotel Tierra Chiloé são feitos pela embarcação batizada de Williche (nome dos povos indígenas da região). Todo feito de madeira, o barco foi construído por carpinteiros locais, utilizando o metódo tradicional da cultura chilota. 

A bordo, queijos diversos e iguarias à base de salmão acompanham os viajantes até chegar ao destino, a ilha de Quehui. A vista é distraída com os montes verdejantes ali, uma revoada de pássaros acolá e até algum animal marinho que submerge tão rápido que nem é possível identificá-lo. Um passageiro diz que é um pinguim. Não há como ter certeza – olhos mais atentos da próxima vez. 

 

Já na ilha, o participante escolhe a atividade, como caminhada ou andar de caiaque. Como Chiloé tem vocação para o trekking, caminhar pelas trilhas da região é uma boa oportunidade para apreciar o verde de seus montes e, de quebra, saborear as amoras encontradas pelo caminho. Os mais aventureiros podem usar caiaques para deslizar nos lagos formados pelas águas do Oceano Pacífico. 

Outra opção de atividade oferecida pelo hotel – dessa vez, em terra firme – é a cavalgada. Seja para um cavaleiro de primeira viagem ou um montador já experiente, o passeio permite conhecer os campos da Península de Rílan, passando por suas criações de ovelhas e plantações de macieiras. Pode ser feito na versão mais rápida, de meia hora, ou, para os mais animados, de até 2 horas. 

CURIOSIDADES

O nordeste de Chiloé é uma das áreas com mais alto índice de baleias azuis do Hemisfério Sul. A melhor época para vê-las é de setembro a abril – siga para a baía de Puñihuil, em Ancud, a 1 hora de Castro, para passeios de barco.

Mais conteúdo sobre:
CastroChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.