Calmaria à beira-mar no Nordeste

Badalada nas férias, região ainda tem pontos menos explorados, como Caraíva e Galinhos

CRISTIANA VIEIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2011 | 03h01

Se não fossem os viajantes espertos que cavam lugares deslumbrantes para curtir seus dias de folga, destinos como Caraíva (BA), Camocim (CE) e Galinhos (RN) ainda seriam vilarejos totalmente isolados. Embora descobertos, os três seguem distantes do agito de verão. Quem tem o privilégio de conhecê-los não se importa de engolir um pouco de poeira no trajeto, pois sabe que águas calmas e muita beleza o esperam.

Em Caraíva, no sul da Bahia, a maioria das ruas ainda é de chão batido. A energia elétrica só chegou a todas as casas há cerca de três anos, mas a fiação é subterrânea, o que mantém o clima rústico do vilarejo.

A cerca de 70 quilômetros de Porto Seguro, a vila de pescadores fica mais concorrida só no réveillon. Uma semana depois, volta a tranquilidade - quebrada no verão só pelo movimento dos bares, das festas e do famoso arrasta-pé do Bar do Ouriço (forrodoourico.com.br), que começa perto da meia-noite e segue até o amanhecer.

Caraíva tem praias tranquilas e boas opções de hospedagem. Caminhadas à beira-mar levam a lagos, mangues e falésias. Um dos trechos mais bonitos do litoral brasileiro está logo ao lado. O percurso até a Praia do Espelho, distante 12 quilômetros, pode ser feito a pé, à beira-mar. Um quilômetro e meio adiante chega-se a Curuípe. Passeios de buggy ou de barco levam à Ponta do Corumbau, outra praia de água cristalina na região.

Salinas. Dunas, salinas e manguezais formam a paisagem de Galinhos, cidadezinha a aproximadamente 180 quilômetros de Natal. A potiguar está situada numa pequena península. Para chegar lá, é preciso deixar o carro em Pratagi e pegar um barco. Se a maré estiver baixa dá para arriscar uma travessia em veículo 4x4.

Galinhos tem poucas pousadas e restaurantes. Entre as atrações estão passeios de barco e jangada com banho de mar e roteiros de bugue pelas dunas da Praia de Galos.

O jegue tour, uma brincadeira com o city tour, atrai os visitantes para ver os pontos turísticos numa charrete puxada pelo animal. Há ainda o jegue-táxi, meio de transporte em que o animal leva os turistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.