Conselho de Turismo de Seychelles
Conselho de Turismo de Seychelles

Calorosos arquipélagos de sonho

Inverno no Hemisfério Sul significa temporada de muito sol e pouca chuva em algumas das ilhas mais paradisíacas do planeta. Nos Oceanos Índico e Pacífico, arquipélagos de sonhos entram em sua melhor fase climática justamente nesta época do ano. Se o projeto para as férias é pegar praia, considere-os seriamente como opções.

Rafael Mosna, Especial para o Estado, O ESTADO DE S. PAULO

29 Maio 2014 | 06h00

Seychelles ganhou publicidade extra e coroada em 2011, quando os príncipes William e Kate escolheram o país para sua lua de mel, logo após o espalhafatoso casamento em Londres. A norte e nordeste de Madagáscar e com temperaturas médias entre 24 e 32 graus, tem três ilhas principais.

Mahé abriga a capital, Victoria. Praslin é famosa pela reserva natural Vallè de Mai, patrimônio da Unesco, onde é possível encontrar o coco-do-mar, maior semente do mundo. La Digue é emoldurada por belas pedras de granito.

Espere encontrar cenários românticos, praias de areias claras e mar cristalino (nesta época, bom para surfe, windsurfe e vela) e montanhas verdes que permitem atividades como observação de pássaros. A região abriga uma grande população de tartarugas marinhas.

Feições indianas. Também no Oceano Índico, a leste de Madagáscar, Maurício é outro arquipélago que se tornou nos últimos tempos querido dos casais em lua de mel, com suas águas mornas em tons turquesa, recifes de corais e montanhas. A história de colonização açucareira é muito semelhante à brasileira (há visitas a destilarias de rum). Mas a população descende, em sua maioria, de indianos – e deste povo conserva feições, hábitos e a religião hindu. Bom lugar para ver e sentir de perto tal herança é o mercado central de Port Louis, a capital.

Quanto às praias, os hotéis têm as suas exclusivas – e há algumas públicas que, além de belas, permitem tomar banhos de sol e mar junto a (poucos) moradores. É o caso de Le Morne, no oeste, aos pés de um monólito que avança para o mar.

Palafitas chiques. Perdida no Pacífico, entre o Chile e a Austrália, a Polinésia Francesa povoa o imaginário dos viajantes por causa das imagens dos quartos de hotéis que são palafitas chiques, cabanas equilibradas sobre um mar muito azul. Quem não quer acordar com peixes nadando sob os pés?

Surfistas vêm por causa das boas ondas, e os passeios aquáticos incluem ainda visitas a fazendas de pérolas.

Inspiração de obras do francês Paul Gauguin (1848-1903), o Taiti, principal ilha, dedica um museu ao pintor. As danças exóticas que encantaram o artista ainda chamam a atenção dos turistas.

SAIBA MAIS:

Seychelles: São Paulo Seychelles–São Paulo: desde U$ 2.051 na South African; US$ 2.884 na Etihad ; e US$ 3 mil na Emirates). Com conexão

Maurício: São Paulo –Maurício–São Paulo, US$ 1.889 na Air France; US$ 2.010 na South African; e US$ 3 mil na Emirates. Com conexão

Taiti: São Paulo–Taiti–São Paulo, desde US$ 1.699 na Lan. Com conexão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.