Divulgação
Divulgação

Cama vitoriana com a melhor vista de Londres

Foram visitas e mais visitas à capital inglesa, mas nenhuma experiência matinal à altura: desliguei o despertador, dei alguns passos já fora da cama, abri a cortina e o sol raiava fraquinho sobre as águas do Rio Tâmisa, com a London Eye no canto. Eu acordava no Royal Horseguards Hotel (guoman.com/The-Royal-Horseguards, diária desde 204 libras, sem café, ou R$ 619), cinco-estrelas que, depois de reforma total em julho de 2012, voltou a oferecer aos hóspedes a mais bela panorâmica londrina.

BRUNA TIUSSU, O Estado de S.Paulo

16 Abril 2013 | 02h12

A propriedade ganhou pintura nova, detalhes contemporâneos, mas evidenciou o estilo vitoriano de quem já foi até base do Serviço Secreto Britânico nos idos da 1.ª Guerra Mundial. Melhor assim: uma vez lá, a gente até se sente num filme clássico.

Localização. Privilegiadíssima. É difícil encontrar hotel do nível do Royal Horseguard com melhor endereço na capital inglesa. No número 2 da Whitehall Court, está a poucas quadras da Trafalgar Square e, na direção oposta, da Parliament Square. O que significa que além de ser muito fácil desbravar o centro londrino a pé - durante o dia ou à noite, a sensação de segurança prevalece -, você pode escolher entre as linhas de metrô de Charing Cross, Embankment e Westminster. Ou, ainda, dobrar a esquina e optar por um dos barcos-táxis que percorrem o Rio Tâmisa.

Suítes. Como não amar a cama king size com lençol e edredom de algodão egípcio? A decoração é clean, mas com legítimos traços vitorianos. O único pecado é não dar ao hóspede a chance de curtir a vista sem o vidro como mediador - a porta da varanda é do tipo que não abre por inteiro, questão de segurança, dizem.

No banheiro (enorme, por sinal), destaque para a banheira e o piso que, nos dias mais frios, pode ser aquecido.

Serviço. Do porteiro de cartola que abre a porta do hotel ao camareiro que arruma o quarto, todos fazem de tudo para que você se sinta um verdadeiro lorde inglês. O serviço é preciso, atencioso, com ótimas dicas do concierge.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.