Câmeras à caça de bichos

Safáris na África exibem os Big Five (entre eles, o elefante) e tipos raros, como o leão branco

O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2011 | 03h01

Com seus muitos parques nacionais e reservas particulares destinados à preservação da vida selvagem, a África do Sul é o lugar perfeito para safáris. Segundo os especialistas, os animais podem ser vistos o ano todo - as estações correspondem às nossas, e o verão atinge seu pico em dezembro e janeiro.

O mais importante parque nacional do continente é o Kruger Park (para informações sobre os parques nacionais, acesse sanparks.org). Na fronteira com Moçambique, a reserva guarda, em seus 20 mil quilômetros quadrados, seis tipos de ecossistemas e os famosos Big Five: leão, rinoceronte-preto, elefante, búfalo e leopardo.

No outro extremo do país, a 180 km da Cidade do Cabo, a Reserva Sanbona (www.sanbona.com) tem como destaque os leões brancos, uma linhagem rara do felino. De quebra, dá para aproveitar sua proximidade com a região vinícola do Little Karoo e provar bons exemplares da produção local.

O Parque Nacional Table Mountain, na ponta sudoeste da África, vai da Cidade do Cabo, onde está a conhecida Table Mountain, até o extremo sul, no Cabo da Boa Esperança. Dá para percorrer estradas cênicas que seguem pela península ora por vilarejos ora pelo litoral. Na Boulders Beach, a atração são os pinguins.

Se quiser se concentrar nos elefantes, o turista pode ir ao Addo Elephant, parque nacional a 70 quilômetros de Port Elizabeth. Nele, é possível fazer safári por conta própria e, durante a busca dos mais de 450 paquidermes que vivem no lugar, não raro zebras e kudus surgem pelo caminho. FLAVIA PERIN, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.