Caminho gracioso para passear e fazer piquenique

Graciosa, é assim a mais antiga via que liga Curitiba ao litoral paranaense. É também adjetivo com o qual foi batizada a PR-410, que cruza a Serra do Mar em 28,5 quilômetros de via e oferece um espetáculo de verde, flores e precipícios, enquanto o carro serpenteia a estrada de pista simples, ora de paralelepípedos, ora de pedras. É a melhor forma para chegar a Morretes e Antonina, a apenas uma hora da capital paranaense. Mas que também funciona como um passeio em si, com sua bela paisagem e os sete recantos para piquenique.

O Estado de S.Paulo

23 Julho 2013 | 02h18

Curitibano que se preza já fez churrasco ao menos uma vez na Estrada da Graciosa. A infraestrutura que inclui churrasqueira, mesa, bancos e sanitários pede apenas que você leve os ingredientes e chegue cedo, pois nos domingos quentes os pontos de parada costumam ser disputados. O mais agradável é o que fica do lado da cascata, mas há bastante concorrência no mirante também. Para quem está só de passagem, há barracas ao longo do caminho que vendem lanches simples e a imperdível mandioca chips.

Caminho aberto por tropeiros no começo do século 18, ela virou estrada em 1873 e permaneceu como a única pavimentada do Estado até meados do século 20. Por ali, passavam cargas de café, erva-mate e madeira rumo ao porto de Antonina ou Paranaguá. Por ali eu também passei inúmeras vezes na infância para chegar ao litoral - uma estrada mais divertida que a BR-277.

O acesso se dá pela BR-116, a 37 quilômetros de Curitiba e, de início, já prepara o espírito para o que virá: um simpático portal de pedra. O caminho, de curvas em U, pistas estreitinhas e despenhadeiros com vistas cênicas, é agradabilíssimo para ser feito sem pressa - menos quando chove, pois a estrada se torna escorregadia. De um lado dela fica o Parque Estadual da Graciosa, do outro, o Parque Estadual Roberto Ribas Lange. E, ali no meio, você vai apreciando as bromélias, marias-sem-vergonha, hortênsias e biquinhas de água.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.