Evelin Fomin/AE
Evelin Fomin/AE

Carcassonne, a cidade que não cabe em si

Patrimônios da Unesco enchem de orgulho a população

Evelin Fomin, O Estado de S.Paulo

25 Agosto 2009 | 02h14

Os franceses de Carcassonne costumam dizer que a cidade "não cabe em si". Culpa dos dois Patrimônios Históricos da Unesco, que enchem de orgulho a população de apenas 46 mil habitantes: a Cidade Medieval (a cidadela, ou cité) e o Canal do Midi, a bela baía artificial criada no século 17.

Dividida basicamente em duas partes - a cidade murada e a cidade medieval baixa (La Bastide Saint Louis) -, Carcassone pode ser desvendada em um dia. Comece pela Ponte Vieux, a maior e mais antiga, construída entre 1247 e 1260, para entender a razão de os moradores terem tanto orgulho. A sensação que se tem ao ver a imagem da cidade medieval diante de seus olhos é fantástica.

É nesse ponto que todos se aglomeram para ver a incrível queima de fogos no ano-novo. Tire fotos em todos os ângulos possíveis e corra até a entrada principal, no Portão Narbonne. Não se esqueça de calçar tênis ou sapatos confortáveis: as ruas são estreitas e de calçamento irregular. Um contraste com a grandiosidade do castelo. Ao redor, 52 torres rodeadas por um anel duplo de muralhas romanas de 3 quilômetros protege a cidadela.

 

Veja também:

linkMontpellier vai fazer você se apaixonar

linkÀ mesa, o sotaque da região sul

linkHerança milenar nas ruas de Nîmes

linkA primeira filha de Roma e um autêntico château

As torres gêmeas são o destaque na entrada e, já dentro da fortaleza, a Basílica Saint-Nazaire. Depois do tour completo, siga desbravando as ruas repletas de lojas de souvenirs, antiquários, livrarias, boulangeries, cafés, restaurantes...Uma curiosidade: há ainda cerca de 130 moradores na cidade velha, contra 3 mil que ali viviam na era medieval.

Na margem esquerda do Rio Aude, que a separa da Cité, fica a Bastide Saint Louis (cidade baixa), organizada, como um tabuleiro de xadrez, a partir da Place Carnot. Ali está a barroca Fonte de Netuno. Em volta da praça, funciona o famoso mercado, citado por Balzac e Stendhal em suas obras. Funciona às terças, às quartas e nas manhãs de sábado.

Procure também pelo Trivalle, um distrito pequeno, mas de grande personalidade: é lá que você vai encontrar casas que mantêm intacto o charmoso estilo renascentista.

Mais conteúdo sobre:
Viagem França Carcassone

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.