Ceará

"É quase um clichê cearense ter as pedras de Quixadá como cenário", afirma Halder Gomes, diretor de Cine Holliúdy, filme que estreou na última sexta-feira nos Estados do Sudeste após atrair 450 mil pessoas aos cinemas nordestinos. Considerado o mais importante ecossistema semiárido do Nordeste, o Vale Monumental, a 160 quilômetros de Fortaleza, possui trilhas ecológicas e formações rochosas únicas.

O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2013 | 02h17

"A maioria dos filmes cearenses são rodados lá por conta dos monólitos espetaculares, com formas de pessoas, objetos. É que nem procurar desenho em nuvem", diz o diretor.

As principais cidades da região, Quixadá e Quixeramobim, possuem estrutura razoável para turismo. Agências como a Sertão & Pedras (88-3412-5995) organizam passeios e subidas em pedras como a do Boqueirão e Cabeça do Gigante (desde R$ 30, por pessoa), além da Pedra da Galinha Choca, avistada de qualquer ponto da cidade. Nas trilhas, a flora e fauna da caatinga, além de pássaros, répteis e mamíferos.

A mais nova produção é uma comédia inocente - falada em "cearencês" com legendas em português - que retrata a saga de uma família que viaja pelo sertão atrás de oportunidades nos anos 1970. O pai, Francisgleydisson (Edmilson Filho), um apaixonado pela sétima arte e por filmes de Bruce Lee, batalha para abrir um cinema na cidade de Pacatuba e lutar contra o avanço da televisão. A tranquila Pacatuba existe de verdade, e fica a 25 quilômetros de Fortaleza. "Nas filmagens eu me sentia voltando no tempo. As casinhas com as mesmas tonalidades, as ruas sem calçamento, sem o desespero de querer se modernizar", lembra Gomes. O pequeno cinema, reconstruído para o filme, já tem atraído visitantes. Para achá-lo, basta perguntar. Não se fala de outra coisa por lá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.