Celebração no ponto mais alto do planeta

O ponto mais alto da Terra estaria em festa, se fosse possível fazer uma a 8.848 metros (quase 9 quilômetros!) de altitude. Alpinistas - e turistas - do mundo todo comemoram amanhã os 60 anos da conquista do Monte Everest, no Nepal. Em 29 de maio de 1953, o neozelandês Edmund Hillary e o sherpa Tenzing Norgay foram os primeiros seres humanos a fincar os pés no cume do gigante.

O Estado de S.Paulo

28 Maio 2013 | 02h10

Desde então, mais de 2 mil corajosos repetiram a façanha - há uma semana, Rodrigo Raineri completou o desafio pela terceira vez e se tornou o brasileiro que mais vezes pisou no topo do Everest. Centenas de outros aventureiros perderam a vida tentando. Mas é claro que não é preciso se arriscar tanto para admirar de perto uma das paisagens mais mágicas do planeta. A pouco menos de 5.400 metros de altitude, o Campo Base do Everest, trekking dos sonhos para aventureiros mundo afora, é um horizonte perfeitamente possível para quem tem disposição.

E nem é preciso ser um atleta, embora algum preparo físico ajude. Jota Marincek, que já esteve nove vezes no Campo Base, recomenda: "Suba e desça escadas o máximo que puder. Os grupos musculares usados no trekking são os mesmos".

As expedições guiadas levam, em média, de 14 a 20 dias para ir e voltar do acampamento, que não é nada além de várias barracas coloridas entre blocos de gelo e em meio ao branco generalizado da paisagem. Isso de abril até meados de maio, alta temporada no Himalaia - nos outros períodos, só fica o vazio.

Durante o trekking, que passa por várias vilas nepalesas, são cerca de seis horas diárias de caminhada, em marcha lenta e com muitas paradas para facilitar a aclimatação do corpo ao oxigênio rarefeito. Além das construções típicas e monastérios budistas, há memoriais a alpinistas mortos no Everest. Na vila de Nanche Bazar, a principal do caminho, um modesto museu guarda objetos e histórias de montanhistas. Gorakshep é o último endereço com sinal de internet,

Em tempo: brasileiros precisam de visto. Informações: embaixadadonepal.com.br.

 

SAIBA MAIS

Aéreo: há voos de ida e volta a Katmandu desde São Paulo com Qatar (qatarairways.com/br; a partir de R$ 4.740) e Emirates (emirates.com; desde R$ 4.931,47)

Pacotes: o pacote de 20 dias com trekking ao Campo Base do Everest custa a partir de US$ 2.580 por pessoa em acomodação dupla com a Venturas (venturas.com.br). Sem aéreo. Na Pisa (pisa.tur.br), custa desde US$ 3.800, também sem aéreo, com duração de 22 dias. Nos dois casos, café, algumas refeições, guia e carregadores estão incluídos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.