Chile e Argentina: bons e baratos

Nossos vizinhos encerraram sua bem-sucedida temporada neste mês. Adivinhe quem lotou as pistas?

O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2008 | 02h34

No Brasil não cai neve, mas bastam quatro horas de avião para o turista chegar a paraísos completamente cobertos de branco nos vizinhos Argentina e Chile. A proximidade e os preços mais baixos (pacotes por a partir de US$ 1.700, sem a passagem aérea) fazem das estações de esqui da América do Sul o destino certo da maioria dos esquiadores verde-amarelos. "De cada quatro turistas, três procuram o sul do continente para esquiar e apenas um segue para o norte", diz o diretor da Snowtime, Sylvio Monti. "Além de a viagem ser curta, os resorts do Chile e da Argentina são ótimos."Os centros de esqui latinos fecharam as portas neste mês comemorando os resultados da temporada, que teve início em junho. Só a estação chilena de Portillo, por exemplo, recebeu 60 mil pessoas - 8% a mais do que no ano passado. No total, 31% dos visitantes eram brasileiros. Com isso, o País conquistou o primeiro lugar no ranking de nações que mais enviam turistas.Já Bariloche, na Argentina, é sem dúvida o reduto preferido dos brasileiros - são em média 40 mil turistas por temporada. O centro atrai não apenas pelas pistas radicais de Cerro Catedral, mas pelas paisagens deslumbrantes e opções de turismo de aventura, como trekking e escalada, que, aliás, seguem em atividade no verão. No início de 2009, todas as estações devem divulgar as novidades para a próxima temporada de inverno.Primeiros passosProcure um instrutor assim que chegar à estação de esqui: três horas de aula em grupo custam cerca de US$ 100 (R$ 232)Alugue o equipamento - botas, bastões e esqui - logo que fizer o check-in. Para iniciantes, recomenda-se o seguinte cálculo: reduzir em 20 centímetros a altura da pessoa que vai usá-lo. Se você tem 1,80 metro, por exemplo, garanta um equipamento com 1,60 m Escolha a manhã para esquiar. Ao meio-dia, o sol deixa a neve com consistência de gelo Aqueça o corpo antes da práticaObserve os bons esquiadores A dificuldade das pistas varia conforme as cores: verde (principiante), azul/vermelha (intermediário), preta (experiente) e double black (profissional)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.