Adriana Moreira/Estadão
Adriana Moreira/Estadão

Chile vai mudar nome da Ilha de Páscoa e limitar número de moradores

Medida anunciada pelo governo busca resgatar raízes culturais e históricas do local; restrição de pessoas não atinge turistas

ANSA

03 Agosto 2018 | 06h00

O governo chileno adotou nesta quarta-feira, 2, novas medidas de permanência de turistas e residentes na Ilha de Páscoa, no Oceano Pacífico, além de anunciar que rebatizará o território como Rapa Nui, denominação da etnia local predominante que significa "ilha grande".

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, chegou ao local na última terça para anunciar as novas regras, que incluem a implantação de um controle demográfico definido pela Divisão Digital de Governo, departamento subordinado ao Ministério da Secretaria-Geral da Presidência chilena que, a cada cinco anos, definirá a quantidade de pessoas que pode viver na ilha.

MAIS - A misteriosa Ilha de Páscoa

"Se esperássemos até 2023, poderíamos ter de fechar a ilha", declarou a sub-secretária de Turismo do país, Mónica Zalaquett, que esclareceu que não haverá restrição para a entrada de turistas, somente para novos habitantes. Zalaquett mencionou que 100 mil pessoas visitaram a região no ano passado, mas "estatísticas mostram que muitas delas não tinham a intenção de serem apenas turistas e acabaram ficando na ilha. O foco da lei são essas pessoas".

A Secretaria do Turismo ainda declarou que se a população continuasse a crescer no ritmo da última década, os recursos naturais da ilha entrariam em colapso até 2024. Segundo ela, a lei visa "proteger o ecossistema da ilha, sua flora e fauna, pois, à medida em que mais pessoas passam a viver no território, a ilha perde a capacidade de dar conta do lixo produzido. Sejamos preventivos, não reativos", concluiu.

'Rapa Nui'. A mudança foi proposta em 2016 por um grupo de parlamentares chilenos e atende a pedidos de moradores da ilha, que nunca gostaram do antigo nome por lhes lembrar um "passado de invasão, saqueio, escravidão e o fim de sua cultura". O governo também pretende incentivar a difusão das línguas e costumes locais. "É um privilégio, uma honra e uma maravilhosa oportunidade estar nesta ilha mágica, que conhecemos como Ilha de Páscoa, mas todos sabemos que em suas raízes, em sua história e suas origens, se chama Rapa Nui", disse Piñera.

MAIS - Novidades das estações de esqui do Chile

O nome de Rapa Nui foi dado à ilha por um rei da etnia local em 400 d.C., mas foi mudado pelo explorador holandês Jacob Roggeven, que chegou ao território no dia 5 de abril de 1722, um domingo de Páscoa. Em 1888, a ilha foi anexada pelo Chile.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.