Chove chuva

Definitivamente, o apagão deste ano em Itaipu não teve nada a ver com estiagem. Um inverno excepcionalmente chuvoso no Sul fez com que a vazão das cataratas esteja bem maior do que o normal. No começo de dezembro, eram sete milhões de metros cúbicos por segundo - a média é 1,5 milhão. Com isso, a água escorre por todas as fendas, e quem foi a Iguaçu na seca vai ver uma paisagem completamente diferente: todas as quedas estão caudalosas. Uma nuvem de spray, porém, impede a visão da Garganta do Diabo, a mais impressionante das cascatas do conjunto. Moral de história: uma vez só não basta - é preciso ir a Foz na cheia e na seca.

O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2009 | 01h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.