Mauricio de Souza/Estadão
Mauricio de Souza/Estadão

É de graça: passeios gratuitos pertinho de SP este fim de semana

Realizada nos dias 19 e 20 de agosto, Jornada do Patrimônio oferece roteiros histórico e culturais em cidades como Santos, Itu, Mogi das Cruzes e outras; confira

Ananda Portela*, O Estado de S.Paulo

14 Agosto 2017 | 18h00

Chega o fim de semana e as ideias do que fazer simplesmente desaparecem? Cobertor e televisão podem ser a combinação perfeita, mas por que não investir em um bate-volta pertinho de São Paulo? Nos dias 19 e 20 de agosto, a Jornada do Patrimônio, organizada pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, terá uma programação com visitas guiadas gratuitas a imóveis históricos, palestras, circuitos gastronômicos e aulas públicas por cidades como Santos, Itu, Mogi das Cruzes e outras. Confira os roteiros: 

Santos

A 80 km de São Paulo, Santos abriga um roteiro histórico e cultural expressivo, muito por causa de sua importância histórica no auge do ciclo do café. Um dos circuitos propostos pela Jornada do Patrinônio na cidade percorre o Centro Histórico, com direito a passeio de bondinho. O passeio começa no Largo do Marquês, com visitas monitoradas à Estação Ferroviária do Valongo - uma das maiores obras de engenharia ferroviária do mundo por conta da inclinação da Serra do Mar -, o Santuário do Valongo e o Museu Pelé, que reúne as conquistas do maior jogador da história do futebol brasileiro.

Depois, os visitantes seguem para o bonde que os levará até a Igreja da Ordem Terceira do Carmo, o Pantheon dos Irmãos Andrada - ambos foram expressivos no processo de independência do Brasil -, Paço Municipal e a Casa de Frontaria Azulejada, local que servia como residência e armazém de membros da corte brasileira. O passeio está programado para os dias 19 e 20, às 11h. 

O Museu do Café, a Casa de Câmara e Cadeia e o Teatro Guarany também estão na programação de visitas guiadas. Além desses passeios, os turistas podem conhecer o Monte Serrat, o segundo morro mais alto da cidade que tem uma vista incrível do Porto de Santos. O bonde do Monte Serrat funciona todos os dias, das 8h às 20h e o trajeto de ida e volta sai por R$ 35.

 

Itu

Esqueça a história dos atrativos "gigantes": Itu tem coisas muito mais interessantes para mostrar durante a Jornada. A cidade, que fica a 1 hora de São Paulo, foi uma das mais ricas da Província de São Paulo, por causa do cultivo da cana-de-açúcar e do café.  Durante as visitas da Jornada, serão distribuídos mapas com dois circuitos temáticos propostos. O primeiro sugere visitas às Igrejas e Monumentos e o segundo, aos Museus e Espaços Culturais. 

Finalizadas as visitas guiadas, o público pode conhecer o Parque do Varvito, um monumento geológico que tem rochas datadas de mais de 280 milhões de anos. A entrada no parque é gratuita.

Uma ótima opção de lazer para as crianças é a Fazenda do Chocolate,  que oferece passeios de pôneis, trilhas para caminhada e degustação de chocolate fabricado na própria fazenda. Ela fica aberta todos os dias, das 8h30 às 17h45. Há também a Cidade das Crianças, parque com brinquedos, banco de areia, Casa do Tarzan e Casa de Boneca. Ela funciona de terça a domingo, das 8h às 17h, exclusiva para crianças de até 10 anos de idade. 

 

Santana de Parnaíba

Localizada na Região Metropolitana de São Paulo, a cidade se destaca por seu rico centro histórico. O conjunto arquitetônico colonial no Largo da Matriz tem quatro visitas tradicionais: o Museu Anhanguera - foi nomeado dessa forma em homenagem ao bandeirante Anhanguera -, Centro de Memória e Integração Cultural, Sede das Secretaria de Cultura e Turismo e o Centro de Apoio ao Artesão.

Na programação da Jornada, haverá transporte gratuito para o Sítio Tanquinho, que abriga um engenho de cachaça artesanal com mais de cem anos de funcionamento.

Aos domingos, Santana de Parnaíba recebe a Feira de Artes e Artesanato, com produtos variados: mosaico, pintura em madeira e tecido, sabonetes, toalhas, vasos ornamentais, entre outros. A feira ocorre na Praça XIV de Novembro, das 10h às 17h.

 

Mogi das Cruzes 

Localizada na Região do Alto do Tietê, a 63 km de São Paulo, a cidade tem vários monumentos e edifícios históricos que tratam de seu aspecto arquitetônico. A programação da Jornada inclui uma visita ao museu mais antigo da cidade, o Museu Visconde de Mauá, e a Pinacoteca de Mogi das Cruzes.

Após as visitas programadas pelo evento, o público pode se aventurar pelo turismo rural, isto é, conhecer as propriedades rurais que se destacam na produção de orquídeas e caqui, fruta que batiza a cidade de Terra do Caqui. Outra opção é o Casarão do Chá, construção do arquiteto e carpinteiro japonês Kazuo Hanaoka que, por 30 anos, abrigou uma fábrica de chá preto, com mão de obra japonesa.

Se programar a ida à cidade em outro fim de semana, saiba que, no primeiro sábado de cada mês, há a saída do Expresso Turístico Mogi das Cruzes. Trata-se de um circuito especial da CPTM, que sai da Estação da Luz e inclui passeio por atrações culturais da cidade, incluindo o Casarão do Chá. 

Para aqueles mais ousados, o Pico do Urubu é uma ótima opção. Localizado na Serra do Itapety, o Pico tem cerca de 1.140 metros de altitude e é frequentado pelos amantes do voo livre.

 

Ferrovias do interior

No passado, as ferrovias eram o principal meio de escoamento da produção brasileira. Por isso, o complexo ferroviário foi tombado e poderá ser visitado durante a Jornada em Campinas e Jundiaí. Com saída do Paço Municipal de Campinas, os visitantes passarão por algumas estações de trem tradicionais na história do Brasil.

Ambas as cidades apresentam um roteiro turístico muito rico, que podem ser visitadas de maneira independente. Em Campinas, o passeio de Maria Fumaça foca no aspecto histórico, dura 3h30, e percorre 48 km - a passagem custa R$ 90. Já para os que gostam de astronomia, uma boa opção é olhar para o céu no Observatório Municipal Jean Nicolini, considerado o melhor local para observar as estrelas por estar distante da poluição luminosa. O atendimento ao público é feito apenas aos domingos, com o ingresso por R$ 3, enquanto a visitação durante a semana é feita por escolas. 

Já Jundiaí é uma das cidades pertencentes à Rota Turística da Uva. Atualmente, possui 20 adegas produtoras de vinho que podem ser visitadas pelo público.

 

Iporanga

A cidade fica mais distante da capital - cerca de 4 horas de distância. Por isso, o ideal é programar ao menos um fim de semana para visitá-la. Durante a Jornada, haverá visitas a pontos históricos como  Porto do Ribeira e Escadarias - a cidade era um importante porto fluvial no período colonial. A  Igreja Matriz e  as Ruínas do Garimpo (já que Iporanga, no passado, foi um dos grandes polos produtores de ouro no País) também estão contemplados na programação. Os passeios são gratuitos, com saídas às 9h, 10h, 11h, 13h e 14h.

O ponto de partida para todas as atividades será em frente à Escola Nascimento Sátiro da Silva, que fica na Avenida Iporanga, 386, Centro. Haverá transporte gratuito para os passeios que ficam fora do Centro Histórico de Iporanga. Não há necessidade de inscrição. 

Iporanga é a porta de entrada para o circuito de visitação de cavernas no Estado. Aproveite para visitar em ao menos um dia o Petar, o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, que reúne o maior número de grutas da América Latina. O ingresso custa R$ 14 por pessoa.

*Estagiária sob supervisão do editor de Suplementos Daniel Fernandes

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.