Divulgação
Divulgação

Cidades sacras, mas nem tanto

SORIA - A cidade de 45 mil habitantes, às margens do Rio Duero, tem festas animadas e forte cultura literária – é chamada de “cidade dos poetas”. Os casinos, bares onde os escritores se reuniam no início do século 20, são uma tradição local. Ali Santa Teresa fundou ali uma ordem carmelita em 1581, em um complexo conhecido hoje como Conjunto do Carmo. Mais: soria.es/turismo. 

Mateus Coutinho, O Estado de S. Paulo

28 Julho 2015 | 00h00

BURGOS - No meio do Caminho de Santiago, a cidade guarda uma importante catedral gótica. A obra do século 13, cheia de detalhes em ouro, é patrimônio da Unesco. O local foi visitado por Santa Teresa, que queria conhecer o Cristo de Burgos – a estátua de Jesus, feita com pele de carneiro e cabelo humano, está na igreja até hoje. Para contemplar a cidade, alugue uma bike e pedale à beira-rio. Não esqueça de parar no Museu da Evolução Humana, onde estão fósseis descobertos no sítio arqueológico de Atapuerca, a 15 km dali – nem de provar a morcela (linguiça) local.

VALLADOLID - É quase uma bênção: recomendado pelo Guia Michellin, o Villa Paramesa oferece tapas, como o ceviche de sardinha com creme de alho negro, servido em uma canoa de alga caramelizada, pelo preço médio de 3,50 euros. A cidade não é só comilança: na casa onde viveu Miguel de Cervantes entre 1604 e 1606, funciona um museu dedicado ao escritor. Já o Museu do Touro quer manter a memória das tradições locais. O convento fundado por Santa Teresa na cidade mudou de lugar e saiu da beira do rio – ainda em funcionamento, guarda escritos originais da santa.

MEDINA DEL CAMPO - A 53 km de Valladolid, a cidadezinha é ponto-chave para seguir os passos de Santa Teresa. Durante as comemorações do nascimento da santa, o Convento de San Juan, fundado por ela em 1567 (onde vivem 21 freiras de clausura), vai abrir as portas aos visitantes, que podem ver até os quartos simples das religiosas. Os restaurantes também vão celebrar, oferecendo o menu teresiano, inspirado na santa: sopa de verduras e legumes, bacalhau, e, de sobremesa, arroz doce, por 21 euros. O vinho da região, com denominação de origem Rueda, está incluído.

ALBA DE TORMES - Para os peregrinos, a vila de 7,5 mil habitantes tem significado especial. Foi ali que morreu Santa Teresa, em 1582. As relíquias da santa (braço esquerdo e coração) estão na Igreja da Assunção de Nossa Senhora de Cármen, onde funciona o convento fundado pela santa em 1571. O museu anexo guarda o quarto onde ela morreu, além de obras e documentos sobre a ordem carmelita e roupas da Duquesa de Alba, família histórica da região cujo castelo em ruínas é uma das atrações da cidade.

Mais conteúdo sobre:
Espanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.