Cinco dias entre a Filadélfia e os arredores

Cinco dias entre a Filadélfia e os arredores

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

14 Outubro 2014 | 02h06

Viajarei a trabalho à Filadélfia e terei cinco dias livres para visitar a cidade e seu entorno. Estarei de carro. Sugestões? (Antonio, São Paulo)

Separe um dia para fazer o roteiro essencial da Filadélfia. Comece com um café da manhã no Reading Terminal Market, o mercadão central de Philly (como a cidade é conhecida na intimidade), aberto em 1892.

De lá, uma caminhada curta leva até o Independence Mall, um trecho sagrado para os americanos. Em um dos prédios - o Independence Hall - foram escritas tanto a Declaração de Independência quanto a Constituição dos Estados Unidos. Também podem ser visitados o sino quebrado que anunciou a independência (e que é um fetiche americano) e o Constitution Center, museu devotado à história da constituição americana.

Prossiga até o Love Park, perto da prefeitura, onde há uma réplica da escultura Love, de Robert Indiana. Ali começa a Benjamin Franklyn Parkway, avenida que leva ao Museu de Arte da Filadélfia - em cuja escadaria foi filmada a famosa cena de Rocky - Um Lutador (1976). Na saída, dê uma passadinha no vizinho Museu Rodin - o maior dedicado ao artista fora da França. Neste ou em outro dos seus dias na cidade, dê um pulinho até South Philly e entre na fila do Pat's King of Steaks, inventor de um dos sanduíches mais cultuados dos Estados Unidos, o Philly cheesesteak.

No segundo dia, use o carro para um passeio até Lancaster, a 130 quilômetros, a cidadezinha onde os Amish vivem como há 200 anos. Na volta, passe no Longwood Gardens, perto de Wilmington, um dos jardins botânicos mais bonitos do país.

No seu lugar, no terceiro dia eu me mudaria para Washington, para passar três noites. A capital americana não cabe num bate-volta; com pelo menos dois dias na cidade, você vai aproveitar melhor a noite de Georgetown e visitar museus que não estão na programação dos apressados, como o National Museum of American History e o incrível Newseum, um museu devotado ao jornalismo (só a galeria de fotos vencedoras do Prêmio Pulitzer já vale a viagem até Washington).

No último dia, faça um bate-volta: pode ser a Baltimore (a 60 quilômetros), onde o porto histórico do Inner Harbor tem museus e um belíssimo aquário, ou a Annapolis (a 55 quilômetros), cidadezinha histórica que oferece gostosos passeios de barco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.