Cinco dias na Holanda em novembro: o que fazer?

Vou passar cinco dias na Holanda em novembro. Quais cidades você sugere visitar? (Montserrat, São Paulo)

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2014 | 02h07

A Holanda é um país compacto. Praticamente todos os lugares interessantes podem ser visitados a partir de Amsterdã, em passeios bate-volta.

Não precisar mudar de cidade é uma grande vantagem em qualquer viagem. Muita gente subestima os transtornos envolvidos a cada mudança. Arrumar as malas, fechar a conta de um hotel, carregar toda a bagagem para a próxima cidade, localizar o hotel reservado, fazer check-in para se livrar da bagagem - tudo isso custa tempo e energia. Resultado: começamos a passear na nova cidade muito mais cansados do que se tivéssemos simplesmente descido do trem e iniciado o roteiro de visita na mesma hora.

Outra grande qualidade da permanência mais prolongada numa base é a liberdade de decidir seus bate-voltas durante a viagem, sem engessar seus planos. A previsão do tempo e o próprio aproveitamento da cidade-base podem levar a adiar, antecipar ou mesmo cancelar um bate-volta.

No seu lugar, eu dedicaria pelo menos três dias inteiros a Amsterdã. Compraria o passe I Amsterdam Card de 72 horas, que custa 67 e dá direito a entrada gratuita em quase todos os museus da cidade, além de um passeio de barco pelos canais e uso ilimitado do transporte público urbano.

Use as atrações cobertas pelo passe como uma desculpa para zanzar por Amsterdã. Em vez de ficar só no básico, como o (recém-reformado) Rijksmuseum e o Museu Van Gogh, aproveite para visitar também a Casa-Museu de Rembrandt, a Sinagoga Portuguesa, o Het Grachtenhuis (um museu dedicado às casas beira-canal da cidade) e o Amsterdam Museum, que conta a história da capital holandesa. A única atração importante não coberta pelo passe é a Casa de Anne Frank; para não enfrentar filas, compre o ingresso on-line com hora marcada (annefrank.org). Tire uma tarde para ir até os moinhos de vento de Zaanse Schans (20 minutos de trem).

O primeiro dos dias restantes pode ser usado para visitar Haarlem, uma micro-Amsterdã, com menos canais e mais pátios (15 minutos de trem). No segundo dia, combine as cidades de Delft (onde são fabricados aqueles lindos objetos de porcelana azul e branca) e Haia (a capital) num passeio de trem. A viagem até Delft leva uma hora; de lá a Haia são apenas 15 minutos.

Um excelente site para pegar dicas atualizadas da Holanda é o DucsAmsterdam.net, mantido por Daniel Duclós, um brasileiro que vive há mais de dez anos no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.