PUBLICIDADE

Cinco dias na Holanda em novembro: o que fazer?

Vou passar cinco dias na Holanda em novembro. Quais cidades você sugere visitar? (Montserrat, São Paulo)

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2014 | 02h07

A Holanda é um país compacto. Praticamente todos os lugares interessantes podem ser visitados a partir de Amsterdã, em passeios bate-volta.

Não precisar mudar de cidade é uma grande vantagem em qualquer viagem. Muita gente subestima os transtornos envolvidos a cada mudança. Arrumar as malas, fechar a conta de um hotel, carregar toda a bagagem para a próxima cidade, localizar o hotel reservado, fazer check-in para se livrar da bagagem - tudo isso custa tempo e energia. Resultado: começamos a passear na nova cidade muito mais cansados do que se tivéssemos simplesmente descido do trem e iniciado o roteiro de visita na mesma hora.

Outra grande qualidade da permanência mais prolongada numa base é a liberdade de decidir seus bate-voltas durante a viagem, sem engessar seus planos. A previsão do tempo e o próprio aproveitamento da cidade-base podem levar a adiar, antecipar ou mesmo cancelar um bate-volta.

No seu lugar, eu dedicaria pelo menos três dias inteiros a Amsterdã. Compraria o passe I Amsterdam Card de 72 horas, que custa 67 e dá direito a entrada gratuita em quase todos os museus da cidade, além de um passeio de barco pelos canais e uso ilimitado do transporte público urbano.

Use as atrações cobertas pelo passe como uma desculpa para zanzar por Amsterdã. Em vez de ficar só no básico, como o (recém-reformado) Rijksmuseum e o Museu Van Gogh, aproveite para visitar também a Casa-Museu de Rembrandt, a Sinagoga Portuguesa, o Het Grachtenhuis (um museu dedicado às casas beira-canal da cidade) e o Amsterdam Museum, que conta a história da capital holandesa. A única atração importante não coberta pelo passe é a Casa de Anne Frank; para não enfrentar filas, compre o ingresso on-line com hora marcada (annefrank.org). Tire uma tarde para ir até os moinhos de vento de Zaanse Schans (20 minutos de trem).

O primeiro dos dias restantes pode ser usado para visitar Haarlem, uma micro-Amsterdã, com menos canais e mais pátios (15 minutos de trem). No segundo dia, combine as cidades de Delft (onde são fabricados aqueles lindos objetos de porcelana azul e branca) e Haia (a capital) num passeio de trem. A viagem até Delft leva uma hora; de lá a Haia são apenas 15 minutos.

Um excelente site para pegar dicas atualizadas da Holanda é o DucsAmsterdam.net, mantido por Daniel Duclós, um brasileiro que vive há mais de dez anos no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.