Cinco dicas para embarcar na temporada

Desta temporada não passa. Protetor solar e estoque de Dramin em mãos, você quer porque quer embarcar em um cruzeiro pela costa brasileira. Mas como escolher qual das 386 saídas em 17 navios previstas até maio é a ideal para as suas férias? A seguir, cinco passos para ajudar na decisão.

O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2011 | 03h09

Como escolher o navio?

Um cruzeiro pode ser resumido no tripé navio-entretenimento-portos de parada, nesta ordem de importância. A embarcação, portanto, deve atender às suas expectativas - é nela que você ficará a maior parte do tempo. Os sites das empresas dão detalhes a respeito de spa, kid's club, restaurantes e toda a infraestrutura.

Jogos, esportes, teatro, cinema e o famigerado jantar com o comandante são atividades padrão. Nas saída temáticas, a elas somam-se desfiles de moda, aulas de dança, de ginástica e festas. Cruzeiros genéricos costumam ser mais tranquilos, por receber famílias, enquanto temas de apelo jovem atraem viajantes dispostos a virar a noite na balada. Procurar sua turma é meio caminho andado para acertar na escolha.

E o roteiro?

Embora sejam importantes, as cidades (portos) de parada devem ser o último item a pesar na decisão. Você não ficará mais que algumas horas nelas. Querer conhecer todos os pontos turísticos do lugar é garantia de frustração. Melhor encarar a escala como um aperitivo para quando quiser voltar. Pesquise e foque em uma ou duas atrações. Os sites das operadoras têm link dedicado às excursões - para quem gosta de ser guiado ou não está a fim de pensar muito, são boas opções.

Por quanto tempo?

Minicruzeiros não fazem sucesso no Brasil à toa: três ou quatro noites são o período ideal para navegantes de primeira viagem. Deixe os roteiros de sete noites para uma eventual segunda vez.

Como é o dia a dia a bordo?

Pense na piscina como o centro nervoso do navio - é para lá que todos vão para verem e serem vistos. No restaurante principal, o do jantar, você tem horário e mesa predefinidos (regras que devem ser cumpridas à risca). A programação do dia você recebe na noite anterior, na cabine; alto-falantes reforçam os destaques.

O que levar na mala?

Mesmo as cabines mais espaçosas são pequenas. Malas viram entulhos nos quais você tropeçará durante vários dias. Não precisa ser formal: trajes de banho e peças leves para o dia; roupa de balada se for o caso; e um visual mais produzido para o tal jantar com o comandante. Mas esqueça a roupa de festa: o clima de evento de gala ficou no passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.