Cecília Cussioli/Estadão
Cecília Cussioli/Estadão

Cinco hotéis para desfrutar as Ilhas Maurício

Opções para curtir a ilha, com mais ou menos luxo

Cecília Cussioli, O Estado de S. Paulo

20 Abril 2015 | 17h39

Há 40 anos, o magnata hoteleiro Sol Kerzner saiu para explorar Maurício e encontrar um lugar perfeito para construir o primeiro resort do país. “É preciso apenas que se possa contemplar o movimento das luzes e das águas”, escreveu na época. 

Ao desembarcar na costa nordeste, na península de Belle Mare, não teve dúvidas de que os 3 quilômetros de areia cristalina, o mar absolutamente calmo e a vista do pôr do sol compunham a localização perfeita para o One&Only Le Saint Géran.

Os 60 hectares de jardins e coqueiros e as amplas acomodações formam um complexo de elegância atemporal, luxo sem ostentação. O staff eficiente e gentil trata cada hóspede como um familiar – alguns são quase isso mesmo. O Saint Géran tem clientes tão fiéis que funcionários acompanham o crescimento dos filhos de casais que passam as férias em Maurício desde a inauguração do resort. Há um cômodo reservado para guardar pertences daqueles que os visitam com tanta frequência que nem vale a pena levar as roupas de volta para casa. 

VEJA TAMBÉM: Conheça a aura mística da ilha Maurício

O jardineiro Tambie carrega no rosto a história do Saint Géran e de seus hóspedes. Funcionário desde a construção, foi responsável por plantar cada uma das palmeiras e plantas dos jardins tropicais. É comum ver hóspedes antigos se aproximando para uma conversa de velhos amigos. O mesmo acontece na recepção com Jimmy, que saúda os visitantes com sua simpatia certeira desde 1975. É por meio de tais pequenos detalhes e gentilezas que o resort conquista a preferência dos visitantes novatos. 

Canapés e drinques servidos à beira-mar são um convite a fazer absolutamente nada. As águas calmas e cristalinas desse pedacinho do Oceano Índico são exclusividade dos hóspedes. Apesar de praias particulares serem proibidas em Maurício, o resort faz o possível para inibir a entrada de visitantes. Mesmo assim, é comum ver vendedores ambulantes circulando pelas areias. 

Este é o lugar para se mimar os adultos e entreter os jovens. Como outros resorts da ilha, oferece diversas atividades: stand up paddle, mergulho, kitesurfe, caminhadas, campos de golfe, etc. São tantas opções que a maioria dos hóspedes nunca deixa o hotel. Diárias desde 340 euros para dois, com meia pensão. 

Pernoite econômica. Dos anos 1970, o Casuarina é um resort três-estrelas antigo, mas digno, com diária desde 70 euros em quarto e 150 euros em bangalô familiar. Acomodações com vista ao mar foram renovadas em 2012. Está na linda praia de Trou aux Biches, no leste, a 20 km de Port Louis.

Área verde. No extremo sul de Maurício, um dos trunfos do Shanti (desde 300 euros com café, e 436 euros com meia pensão) é a vegetação farta no terreno, em meio à qual estão distribuídos os quartos e vilas, todos de frente para o mar. Uma pequena baía mais abrigada garante o banho em águas calmas.

Pedra à vista. O Lux (desde186 euros) fica aos pés de Le Morne, um dos pontos mais históricos de Maurício, patrimônio da Unesco. Trata-se de um monólito de 600 metros de altura em cujo topo escravos fugidos se escondiam, no século 19. A praia por ali é aberta – e razoavelmente frequentada por moradores.

Flutuante. Para dormir em bangalôs sobre as águas em Maurício, reserve no chique Constance Le Prince (desde 720 euros por noite em suítes júnior sobre palafitas e 530 euros em terra firme). O resort fica em uma península no noroeste da ilha, um dos melhores trechos da costa para nadar com snorkel. 

Na África, conheça também a Namíbia:

 

Mais conteúdo sobre:
Ilhas MaurícioÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.