South African Tourism/Divulgação
South African Tourism/Divulgação

Cinco lugares para estar em 2010

A lista dos eventos mais quentes deste ano começa com a bola rolando na Copa. E inclui arte, astronomia, religião e orgulho gay, em festas por todo o mundo. Mas é preciso se planejar desde já

O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2010 | 01h21

África do Sul

O mês de janeiro será determinante para torcedores que pretendem ir à Copa na África do Sul. Agora que estão definidos os confrontos da primeira fase, as operadoras acenam com a possibilidade de criar outros modelos de pacotes, o que pode significar algum preço mais em conta. Nada garantido ainda, mas pelo menos uma das seis empresas do pool brasileiro, a Ambiental, afirmou que vai discutir o assunto nesta semana.

Hoje, os preços dos pacotes variam, por pessoa em quarto duplo, de US$ 8.970 (nove dias) a US$ 23.379 (33 dias). Os ingressos são pagos à parte. Ainda há um bom número de vagas disponíveis - mas todas as entradas para jogos do Brasil estão em poder das operadoras, que só as vendem atreladas aos pacotes. Mais um motivo para ficar de olho nas promoções.

O evento

Kaká e companhia estreiam no gramado de Johannesburgo em 15 de junho, quatro dias após a abertura oficial da Copa. O País volta a se apresentar na mesma cidade (dia 20) e em Durban (25). Depois, só depende da seleção para seguir adiante, rumo às oitavas de final.

O que fazer

Em Johannesburgo fica o bairro de Soweto, antigo lar de Nelson Mandela e local onde começaram os protestos dos negros contra o apartheid. Um registro vivo da história recente da África do Sul. O tour de seis horas pelo bairro custa cerca de R$ 150. Site: www.apartheidmuseum.org.

Torcedores brasileiros ficarão hospedados na Cidade do Cabo e em Durban. A primeira é aquela onde os Oceanos Atlântico e Índico se encontram, no Cabo da Boa Esperança, com espaço para caminhadas, pesca e surfe. A vista panorâmica da Table Mountain (foto), ou Montanha da Mesa, é outra atração.

As temperaturas amenas de Durban fazem da cidade um destino de sol e mar mesmo no inverno. Golden Mile e outras praias banhadas pelo Oceano Índico despertam interesse de famílias a surfistas.

Como ir

Se quiser arriscar ir por conta própria até a África do Sul, o voo de ida e volta entre São Paulo e Johannesburgo, sem paradas, custa a partir de R$ 4.607,85 na South African (www.flysaa.com), para permanência de um mês a partir de 10 de junho, véspera da abertura da Copa. Com escala, preços mínimos entre R$ 10.840 e R$ 13.555, com Air France (www.airfrance.com.br), TAM (www.tam.com.br), TAP (www.tap.pt) e United (www.united.com.br).

Ingressos custam desde US$ 80. Agaxtur (agaxtur.com.br), Ambiental (ambiental.tur.br), Marsans (marsans.com.br), Pallas (pallastur.com.br), Stella Barros (stellabarros.com.br) e TAM Viagens (tamviagens.com.br) são as operadoras oficiais.

Rio de Janeiro

O Rio não foi eleito o melhor destino gay do mundo à toa. A votação promovida em novembro pelo canal Logo, da MTV norte-americana, apenas confirmou uma das vocações da cidade que abrigou, na orla de Copacabana, a primeira Parada do Orgulho Gay em território brasileiro. Evento que chega à 15ª edição em 2010 - com todo o gás e a animação que a data merece.

Em 2009, 1,5 milhão de pessoas seguiu os carros de som. Trata-se do terceiro maior evento anual da cidade - atrás apenas do réveillon de Copacabana e do carnaval na Sapucaí.

Bem diferente da primeira edição, em 1995, que reuniu 2 mil participantes. Quinhentas máscaras de papel machê foram distribuídas na ocasião porque muita gente, com medo de represálias, preferiu o anonimato. O incrível é que os adereços foram deixados de lado durante a festa. Outra curiosidade: o cantor Renato Russo pagou parte das despesas daquela edição.

O evento

Neste ano, o evento ocorre em uma data um tanto cabalística: no dia 10 do mês 10 de 2010. Aliás, a primeira parada gay do mundo, a de Nova York, comemora 40 anos também em 2010.

Cerca de 10% dos participantes da parada carioca é composta por turistas do Brasil e do exterior. E em 2010 ela deve ser ainda mais internacionalizada. O Rio será palco da conferência da ILGA (International Lesbian and Gay Association), de 5 a 15 de outubro, com previsão de atrair 4 mil estrangeiros.

O que fazer

Durante a semana do evento a cidade se enche de festas. Mas alguns lugares já se tornaram verdadeiros ícones GLS. A Rua Farme de Amoedo, a uma quadra da Praia de Ipanema, é ponto de encontro em bares como o Bofetada (tel.: 0--21-2227-1675).

Para badalar, a pista da boate Le Boy (tel.: 0--21-2513-4993), em Copacabana, toca muita música eletrônica. A alguns quarteirões fica a versão feminina, a La Girl. Na Le Boy, o preço da entrada para mulher é um pouco mais alto - o exato contrário ocorre na La Girl.

Como ir

O voo São Paulo-Rio-São Paulo custa desde R$ 178 na Gol (0300-115-2121), R$ 218 na TAM (0800-570-5700) e R$ 250 na Webjet (0300-21 0-1234).      

 

Istambul

 

Às margens do Rio Ruhr, Essen conta com o diferencial da organização alemã - o calendário inclui mais de 2.500 eventos. Pécs, na Hungria, foi lar de celtas, tem incrível cidadela medieval e passou pelo domínio otomano, que deixou ali mesquitas e minaretes. Mas como se destacar quando o título de Capital Europeia da Cultura de 2010 será dividido com Istambul?

 

Partida entre Europa e Ásia, a maior cidade da Turquia (desde 1923, a capital é Ancara) nos últimos anos virou vedete turística, com número de visitantes crescendo a uma média de 20% ao ano.

 

O evento

 

Istambul será uma das Capitais da Cultura antes mesmo de o país estar oficialmente na Comunidade Europeia, algo previsto para 2014. E parece pronta para lucrar com a visibilidade trazida pelo título. Enquanto você estiver lendo esta reportagem a festa em Istambul terá começado - a abertura oficial será no dia 16, mas o calendário de comemorações já vale desde a virada do ano.

 

Ao longo de 2010, a cidade será palco de exposições, shows, palestras, lançamentos de livros, mostras de cinema e tudo o que uma capital da cultura merece. (A tempo: Essen inicia sua festa em 9 de janeiro e Pécs, no dia 10.) Informações: www.en.istanbul2010.org.

 

O que fazer

 

A cidade que uma vez se chamou Constantinopla viu ressurgirem seu passado e seus monumentos. A exemplo da impressionante Santa Sofia, erguida no século 6º para ser uma síntese do paraíso e maquiada para virar mesquita depois da chegada dos otomanos. Ganhou minaretes e teve os mosaicos católicos banhados de cal. E só agora esses desenhos de caquinhos começam a ser restaurados.

 

O local foi transformado em um museu que sintetiza muito do passado da cidade. A partir dali você cruza a praça até a Mesquita Azul, a mãe de todas. Construída em 1069, tem seis minaretes em honra de Alá e comanda as cinco orações diárias.

 

Dali, a sequência coerente é cruzar a rua à direita e entrar no Palácio Topkapi, a casa dos sultões, surgido no século 15. O lugar guarda tesouros inimagináveis, de tronos a berços de ouro maciço - e será palco de eventos culturais durante o ano. O coração do complexo é o harém onde chegaram a viver mais de mil mulheres (a visita exige pagamento à parte).

 

E corra para fazer um dos principais programas de Istambul desde a época de Constantinopla: o Grande Bazar, um louco emaranhado com mais de 4 mil lojas. Nesse labirinto a pechincha é quase uma exigência.

 

Como ir

 

Desde o começo de 2009, brasileiros contam com um voo direto entre São Paulo e Istambul. Da Turkish Airlines (www.turkishairlines.com), custa a partir de R$ 4.632,77, ida e volta, valor para janeiro.

 

Ilha de Páscoa

 

Os moais são a marca registrada da Ilha de Páscoa, uma terra isolada no meio do Oceano Pacífico, a cerca de 4 mil quilômetros de Santiago, no Chile, e também de Papeete, na Tailândia. O mistério em torno de como foram erguidas as imensas estátuas de pedra vulcânica que chegam a medir 21 metros de altura e pesar 300 toneladas atrai todos os tipos de turistas: aventureiros, místicos e até quem quer apenas ter contato com a rica cultura Rapa Nui (como são denominados a ilha e o povo nativo).

 

O evento

 

Em 11 de julho, o eclipse total do sol promete atrair milhares de pessoas ávidas por uma oportunidade única: fotografar os moais com o sol encoberto. O problema é comportar tanta gente na ilha, que tem a metade do tamanho de Ilhabela, no litoral paulista, e hotéis pequenos.

 

O que fazer

 

Em torno do fenômeno natural, uma série de eventos estão prometidos. O principal deles é o Honu Eclipse 2010 (www.honueclipse.org), um superfestival de música eletrônica com ingressos a US$ 500. Para abrigar os baladeiros, será organizado um grande camping.

 

Como ir

 

Está difícil conseguir voos para o começo de julho, mas você pode tentar a lista de espera. Há pacotes desde US$ 1.903 na Venturas & Aventuras (0--11- 3872-0362) e de US$ 1.772 na CiaEco (0--11-5571-2525). Os voos são operados pela Lan (0800-761-0056) e custam desde R$ 2.086, com saída de São Paulo e conexão em Santiago.

 

Santiago de Compostela

 

O termo sagrado, tão usado em referência a Santiago de Compostela, a capital da Galícia, será ainda mais adequado como definição em 2010. Um dos principais destinos mundiais de peregrinação católica viverá novamente, depois de cinco anos, um Ano Santo, também conhecido como Jubileu Apostólico. Por definição papal, em anos assim, fiéis que visitam a catedral da cidade espanhola obtêm perdão para todos os pecados. Tentador, não?

 

O evento

 

O Ano Santo ocorre quando o dia consagrado ao apóstolo Santiago, 25 de julho, cai em um domingo. Tradição que teve início em 1922, quando o papa Calixto II concedeu à Catedral de Santiago de Compostela o privilégio do perdão dos pecados.

 

Para sair de lá com a alma purificada é preciso rezar uma oração, se confessar e comungar durante uma celebração eucarística. Há confessionários em diferentes idiomas distribuídos pela igreja.

 

Além de fé, a ida à cidade espanhola em 2010 exigirá jogo de cintura para conviver com o intenso movimento turístico. São aguardados 8 milhões de visitantes durante o ano, dos quais pelo menos 250 mil devem fazer o percurso completo, com direito a peregrinação pelo famoso Caminho de Santiago.

 

O que fazer

 

A indispensável visita à catedral só fica completa depois de uma caminhada pelo telhado, para apreciar a vista lá de cima. É preciso fazer reserva: www.santiagoreservas.com.

 

Nos intervalos da programação religiosa, é na cidade velha que os turistas se divertem. Restaurantes especializados em frutos do mar servem a variada gastronomia da Galícia. Bares e baladas recebem levas de estudantes - aproximadamente um terço da população é formada por universitários - e, é claro, de visitantes dispostos a aproveitar a noite.

 

Para alegria de todos, as atrações ficam bem perto umas das outras e a grande pedida é se deslocar a pé. Até para não deixar passar nenhum lance do movimento das ruas, que já é parte da festa. Só não vale perder o bom humor se for pego por uma chuva no caminho. Os pés d’água da cidade são famosos.

 

Como ir

 

O peregrino que se preze (ou o viajante não tão fervoroso, mas dono de espírito aventureiro a toda prova) percorre o caminho até Santiago a pé. Há cinco opções de trajeto. O mais tradicional começa nos Pireneus, na França, e tem 800 quilômetros de extensão. Muitos optam por ir de bike ou a cavalo. Na falta de preparo físico, vá direto para lá: o voo São Paulo- Santiago de Compostela-São Paulo custa a partir de R$ 2.299 na Iberia (www.iberia.com) e R$ 3.404 na Lufthansa (www.lufthansa.com).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.