Massimo Pinca
Massimo Pinca
Imagem Mônica Nobrega
Colunista
Mônica Nobrega
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Cinco motivos para fazer um cruzeiro em família

A temporada 2021/2022 no litoral brasileiro ainda não está definida, mas há boas razões para uma viagem com os filhos (assim que for confiável, é claro)

Mônica Nobrega, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2021 | 03h00

Há duas semanas, a Anvisa divulgou nota em que desaconselhava a  liberação “neste momento” da temporada 2021/2022 de cruzeiros no litoral brasileiro, por causa da covid-19, claro. A Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil) afirmou que continua trabalhando para viabilizar a temporada. E o Ministério do Turismo declarou que há reuniões marcadas para debater o tema nas próximas semanas. Portanto, nada é definitivo. 

Ainda não me sinto suficientemente segura para passar dias num navio. Mas listo, a seguir, cinco motivos para embarcar num cruzeiro em família, assim que for confiável. 

1. Folga da lida doméstica 

“Comemorem! Por uma semana, vocês não terão de limpar, não terão de cozinhar”, berrou ao microfone o apresentador da primeira noite de espetáculo no teatro de um cruzeiro Disney. Encontrar a comida sempre pronta e variada, o quarto arrumado e o banheiro lavado são, assim, sonhos de consumo.

2. Companhia para as crianças

E para os adolescentes. Se tem uma coisa que vi acontecer em todos os muitos cruzeiros que fiz foi a formação dos grupinhos de crianças e grupinhos de adolescentes que passam os dias, a semana inteira andando de lá para cá em bando. A gente, mãe, pai e responsáveis em geral, só precisa combinar as regras (algumas empresas oferecem pulseiras que mostram a localização deles no navio) e aproveitar os momentos que não precisaremos tirar ideias da cabeça para entreter os nossos filhos. 

3. Controle de gastos

As crianças podem comer guloseimas, besteirinhas e lanchinhos incluídos no pacote o dia todo sem que isso cause um grande impacto no orçamento

4. Sem internet

Pacotes de acesso à internet custam bem caro dentro dos navios. Não vai dar para as crianças e adolescentes passarem horas no celular, no tablet, e você nem vai precisar se estressar limitando ou negociando o uso dos eletrônicos. 

5. Nada para fazer

Depois de mais de um ano e meio de pandemia, com muita morte e tristeza todos os dias, eu faria um cruzeiro por um motivo principal: não há essencialmente nada para fazer num cruzeiro. Sim, tem alguns shows, piscinas, bares. Mas essas coisas importam pouco e estarão lá no dia seguinte, e no seguinte, e depois, iguaizinhas. Dá para dormir até a hora que o sono acaba sem medo de estar perdendo algo. 

Não esqueça: se a Anvisa liberar, e você decidir embarcar, vacine-se e vacine a família. E não desista do uso de máscaras. Pela saúde de todos. 

Tudo o que sabemos sobre:
cruzeiro marítimoturismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.