Adriana Moreira|Estadão
Adriana Moreira|Estadão

Cinematográfica

Há muitas maneiras de sentir o glamour de Hollywood - seja nos restaurantes frequentados por celebridades ou nos divertidos tours nos estúdios

O Estado de S.Paulo

10 Maio 2016 | 02h55

Passear por Los Angeles significa se deparar com um set de gravação quando menos se espera – até dentro do ônibus hop on-hop off (sim, aconteceu comigo). Embora a indústria cinematográfica esteja encolhendo na cidade, graças aos incentivos fiscais oferecidos em outros Estados, os principais estúdios ainda estão em Los Angeles. Além, claro, da cerimônia do Oscar e da Calçada da Fama. Aliás, se quiser a foto da estrela de seu artista favorito, veja a localização aqui. Você não vai querer procurá-la entre as 2.579 distribuídas entre a Hollywood Boulevard e Vine St.

Casas das celebridades

O passeio mais clássico (e turístico de Los Angeles) tem sua graça – desde que você entre no clima. Há várias empresas que operam o tour, concentradas na Hollywood Boulevard, com pequenas variações no itinerário, mas o mesmo princípio: primeiro, uma paradinha num mirante nas colinas de Hollywood para uma foto panorâmica. Depois, duas horas sem descer da van, passando por casas de famosos como Tom Hanks, Ryan Gosling e Al Pacino, a mansão que pertence a Tony Stark em Homem de Ferro, a loja das Kardashians nas imediações da Rodeo Drive e o prédio onde Vivian (Julia Roberts) morava em Uma Linda Mulher. Dica: jamais pegue o tour das 14h30 numa van sem cobertura num dia de sol.

The Hollywood Museum

São 10 mil itens em exibição que contam a história da indústria cinematográfica em Hollywood. Figurinos, roteiros originais, fotos e objetos pessoais de estrelas – como o roupão de Elvis Presley, o vestido de Marilyn Monroe e as luvas de Rocky Balboa. Ingresso: US$ 12.

Tours nos estúdios

Quem é fã de séries e cinema não pode deixar de fazer os tours nos estúdios. Warner (US$ 62), Sony (US$ 40) e Universal (US$ 95) têm os seus, com características próprias. 

Na Universal, o tour tem o clima de parque de diversões onde o estúdio está inserido – o valor do ingresso inclui os brinquedos do parque. Os carrinhos de golfe saem em sequência e passam por áreas onde foram filmados diversos sucessos de bilheteria. Sem spoilers, dá para dizer que há muitas surpresas – como na área especial do King Kong e o tanque onde foi filmado Tubarão (1975).

Ninguém desce dos carrinhos – diferentemente do tour da Warner, onde o guia pergunta quais são os programas favoritos de cada um para destacar as curiosidades. São três horas, passando pelo beco onde o Homem-Aranha beijou Mary Jane na chuva, a casa onde viviam os pais de Ross e Mônica em Friends (a mesma onde vivem Lorelai e Rory em Gilmore Girls), a loja de quadrinhos de Stuart em The Big Bang Theory, os estúdios de gravação, um pequeno museu da saga Harry Potter. Ao final, uma área desvenda os bastidores da rotina dos estúdios, com making of de efeitos especiais e curiosidades, como o teste para o papel de Superman de Christopher Reeve. Para os fãs de Friends, o grand finale: tirar uma foto sentado no sofá original do Central Perk.

Na Sony, são apenas quatro saídas diárias e a grande estrela é um programa de auditório amado pelos americanos: Jeopardy, uma espécie de Show do Milhão. O tour tem duas horas de duração, com direito a ver de pertinho o motorhome usado por Walter White e Jesse Pinkman em Breaking Bad.

Pink’s Hot Dogs

Na mesma família desde 1939, o Pink’s é daqueles lugares clássicos, com charme meio decadente. Adorado por muitas das estrelas hollywoodianas, podia também ter entrado nos programas baratos: o cachorro-quente imenso com o famoso molho de chilli custa US$ 3,70 e os anéis de cebola, US$ 3,10. O cardápio é imenso, com nomes que homenageiam famosos como Marlon Brando, Ozzy Osbourne, Martha Stewart... Fica aberto até às 2 da manhã – vá com paciência para as filas.

Tagine

O restaurante é pequeno, sem grandes atrativos do lado de fora. Mas o Tagine tem como um de seus sócios Ryan Gosling, que, dizem, vez ou outra aparece por lá. O cardápio, criado pelo chef Ben Benameur, tem sabores marroquinos refinados. O menu degustação começa em US$ 75 – há pratos principais por a partir de US$ 21.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.