Circuito de museus e centros culturais

Diáspora, resquícios de antigas civilizações, dança e música brilham nos espaços de arte e informação

Niza Souza, O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2008 | 01h44

A cosmopolita Tel-Aviv tem vida cultural à altura de seu perfil moderno e do interesse histórico que Israel desperta no mundo. Fica na cidade o Eretz Museum, um dos complexos museológicos com acervo mais variado e abrangente do país, no bairro de Ramat Aviv.Arqueologia, etnografia, folclore, artes e identidade do povo judeu são assuntos dos pavilhões distribuídos em um enorme jardim no entorno do Tel Qasile. Nessa colina foram encontradas 12 camadas de resquícios de civilizações passadas. Em lugar de serem removidos para os pavilhões, vários artigos permanecem no sítio arqueológico, onde foram encontrados. Entre os muitos setores interessantes estão as réplicas de fábricas de vinho, óleo e farinha. Bem como o planetário e sua Viagem Pelo Universo, apresentada duas vezes por dia (e cobrada à parte).Localizado no mesmo bairro, o Beth Hatefutsoth, Museu da Diáspora Judaica, tem a Universidade de Tel-Aviv a lhe dar suporte. Temática, a instituição se encarrega de contar a história do povo judeu e a cronologia dos 2.500 anos da diáspora. Segundo os registros, os judeus deixaram Jerusalém para trás ao serem expulsos pelo imperador da Babilônia, Nabucodonosor, e começaram a sua saga pelo planeta seis séculos antes do nascimento de Cristo. Há descobertas curiosas nesse museu, como a miniatura de uma sinagoga. Além de fotos, reproduções, vídeos e recursos interativos que tornam a visita instrutiva e, ao mesmo tempo, divertida até para crianças. Para ver pinturas israelenses desde o século 16 até os dias atuais, o endereço certo é o Museu de Arte de Tel-Aviv. Além do bom acervo permanente, há uma intensa programação cultural - música, teatro, dança e cinema -, como forma de atrair público de todas as idades. Para as crianças, por exemplo, a terça-feira, a quarta e a quinta da próxima semana estão reservadas para a oficina Descobrir Picasso. ÓPERAO prédio envidraçado do Centro Golda Meir de Artes Cênicas já mereceria uma visita pela beleza de sua arquitetura. Mas o local tem também uma programação musical freqüente e diversificada, além de ser sede da Ópera de Israel. A programação está disponível no site e os ingressos precisam ser reservados por telefone ou e-mail. O Centro de Dança Suzanne Dellal, no bem-cuidado bairro Neve Zedek, é o palco mais prestigiado dessa arte no país. As quatro salas estão sempre ocupadas por espetáculos e a casa ainda abriga três grandes festivais por ano. O Summer Dance, entre julho e agosto, tem duração de seis semanas e conta com a participação dos melhores bailarinos do país, além de convidados vindos do exterior. No fim de outubro, o Dance Europa recebe companhias de dança européias e, no mês seguinte, o Haramat Masach procura destacar o trabalho de coreógrafos independentes. Eretz Museum: eretzmuseum.org.il; entrada: 61 shekels (R$ 38), museu e planetário, ou 38 shekels (R$ 24), só museuBeth Hatefutsoth: Klauzner St., Universidade de Tel-Aviv, portão 2; grátisMuseu de Arte de Tel-Aviv: www.tamuseum.com. Ingresso: 42 shekels (R$ 26)Ópera de Israel: www.israel-opera.co.il/eng. Reserva de ingressos: (00--55-972-3) 692-7777 e kupa@tapac.org.ilCentro de Dança Suzanne Dellal: www.suzannedellal.org.il/view_page.aspx?p=58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.