MSC Cruzeiros
MSC Cruzeiros

Cirque du Soleil se equilibra em navio

MSC Mareviglia, inaugurado dia 3, é o único navio do mundo a exibir espetáculos da trupe

Adriana Moreira, Le Havre

13 Junho 2017 | 04h03

Um espetáculo circense dentro de um cruzeiro, com todo o inesperado balanço que o mar oferece, seria realmente possível? O Cirque du Soleil aceitou o desafio e montou não apenas um, mas dois shows embarcados no MSC Meraviglia, o mais novo navio da MSC. Inaugurado dia 3 no porto de Le Havre, na França, ele chegou domingo a Gênova, na Itália, de onde começa a operar roteiros de sete noites passando por outros cinco portos no Mediterrâneo (Barcelona, Marselha, Nápoles, Messina e Valeta). 

Segundo Yasmine Khalil, presidente da 45 Degrees, empresa de projetos especiais do Cirque, o balanço do mar foi levado em conta desde a criação do conceito dos dois espetáculos que serão encenados, Viaggio e Sonor. “Tudo foi desenvolvido tendo isso em mente, desde a criação do espaço até as fantasias e perucas”, explica ela.

Hoje, o Meraviglia é o único navio do mundo a contar com um show da trupe. Essa, no entanto, não é a primeira experiência embarcada do Cirque – no início dos anos 2000, houve uma parceria com a Celebrity Cruises, que não foi para a frente. “Não conseguimos fazer Cirque du Soleil da maneira que estamos acostumados”, diz Yasmine.

Com espaço e tecnologia adaptados às necessidades da trupe, a Yasmine acredita que, desta vez, a experiência tem tudo para ser um sucesso. O teatro, para 413 pessoas, é o menor em que o Cirque já se apresentou. “Os artistas (15, ao todo) estão muito próximos à plateia. É preciso criar uma conexão com ela.”

A ideia é que, em breve, outros navios da MSC recebam shows do Cirque. “Temos um contrato de exclusividade por dez anos”, diz Yasmine. 

Os shows não estão incluídos no pacote do cruzeiro (a partir de R$ 3.199 por pessoa, em cabine dupla) e custam 15 euros por passageiro, com um drinque, ou 35 euros, com jantar. São duas apresentações diárias, de 40 minutos cada. “A programação foi feita para que todos possam assistir aos dois espetáculos durante a viagem”, explica Daniel Fortin, diretor executivo do Cirque.

Novidades. Maior navio da empresa, o Meraviglia marca uma nova geração de navios da MSC, parte de um plano de expansão que inclui a construção de outros 10 navios, de três classes diferentes, até 2026. Em coletiva prévia à cerimônia da inauguração, o presidente da empresa, Pierfrancesco Vago, revelou que o MSC Seaview, que ficará pronto em 2018 e terá um jardim ao ar livre, “é um navio com a cara do Brasil” – e deverá aportar por aqui em novembro de 2018.

Além de contarem com áreas amplas e abertas, que fazem o passageiro se sentir não num navio, mas num resort, a característica principal do Meraviglia é o grande número de cabines com varanda – 75%. Vários quartos são modulares, com passagem interna para melhor acomodar as famílias. “Democratizamos o luxo nas viagens de cruzeiro”, diz Francesco.

O passo seguinte, ele explica, é “democratizar a cultura”. Para isso, estão sendo negociadas com museus como Louvre, em Paris, e Prado, em Madri, obras de grandes mestres para serem expostas em museus flutuantes em uma nova geração de navios, a World Class, que devem começar a navegar em 2022. 

Mais conteúdo sobre:
Europa Itália França Espanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.