Coincidências incríveis e dúvidas de um aposentado

Envie sua pergunta para miles@estadao.com

Mr. Miles, O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2018 | 00h39

A correspondência de nosso viajante é variada e curiosa. Ele mesmo é quem conta: 

Well, my friends, recebi uma carta divertida na qual o leitor Edmundo Della Negra, de Vinhedo (SP), relata uma coincidência quase inacreditável em um caso de bagagens extraviadas. Edmundo viu-se em casa, após uma viagem, com uma mala igual à sua. Ela estava, of course, fechada. Para abri-la, digitou o código 946 (mês e data de seu nascimento). Funcionou. Para sua surpresa, however, as roupas não eram as suas. 

Recebeu, mais tarde, a chamada de um outro viajante que lamentava ter trocado sua bagagem pela de Edmundo na esteira do aeroporto. Malas iguais, you know... A coincidência não era essa, quase banal. O fato é que o outro passageiro, de posse da mala de Edmundo, digitou a sua senha: 946 (os três primeiros números de seu telefone). 

My God: can you believe in such a coincidence? As malas eram iguais, foram trocadas na esteira. Mas a senha para abri-las era a mesma!

Mais uma amazing story sobre o ato de viajar. E não se enganem, my friends: as coincidências são mais impressionantes quanto mais e mais se viaja. Como dizia meu amigo Carl (N. da R.: Carl Gustav Jung, criador de uma vertente da psicanálise e estudioso da sincronicidade): “Em toda desordem, há uma ordem secreta”.

A seguir, a pergunta da semana.

Como está, Mr. Miles? Conheço boa parte de meu país e alguns lugares do estrangeiro, mas tudo a trabalho. Hoje chego perto de me aposentar e pergunto: devo voltar a lugares em que me hospedei a trabalho ou devo evitá-los e ir a lugares em que nunca fiquei? 

Marcelo N. Franquim, por e-mail

Well, dear Marcelo: minha resposta será, I’m afraid, um tanto dúbia: “It’s up to you (você decide)!”. Na verdade, tanto faz. Importa, mesmo, é a intenção de viajar depois de aposentado, o que me induz a pensar que esse é um dos seus planos para o futuro. Brilliant!

São milhões as pessoas que precisam alcançar a proficiência resultante de uma vida de trabalho para, só então, partir em busca do grande mundo que se estende além de sua rua ou de seu bairro. Tempo, curiosidade e, last but not least, um pouco de dinheiro acumulado são armas que se adquire (não as de fogo ou as de confronto, my God!) para quem um dia quiser conquistar esse belo planeta que todos nós possuímos – no que deveria ser o mais amplo e civilizado dos condomínios, sem síndicos ou zeladores.

Voltar aos lugares em que você esteve a trabalho será tanto melhor quanto mais belas as impressões que estão guardadas em suas memórias. Confesso, by the way, que nunca fui um especialista em viajar com essa finalidade – mas me parece que esse tipo de jornada é como o prefácio de um livro. Há que se ler todo o resto para saber do que trata o enredo, que emoção tem a trama, que valores são oferecidos na narrativa and so on.

Um bom prefácio, however, é suficiente para abrir o apetite de qualquer comensal ou a mala de qualquer viajante. Don’t you agree?

Se, porém, o destino de sua antiga viagem de trabalho não deixou vestígios, talvez seja o caso de trocá-lo por outro (se bem que, como sempre digo, é preciso dar várias chances a um destino, para que os ventos mudem, os ânimos melhorem ou você mesmo ganhe a sabedoria necessária para poder reinterpretá-los).

Não posso deixar de mencionar que, caso em suas viagens profissionais tenha havido a chance de conhecer gente e fazer amigos, esse passa a ser um fator primordial. Sem as preocupações do dia a dia dos negócios, uma pessoa que lhe foi agradável pode tornar-se excelente cicerone e, why not?, ótimo (a) companheiro (a) de explorações não profissionais. 

Em todas as situações, dear Marcelo, tudo o que posso fazer é desejar-lhe uma excelente viagem. E que ela seja apenas uma de muitas!

É O HOMEM MAIS VIAJADO DO MUNDO.

ELE ESTEVE EM 183 PAÍSES E  

16 TERRITÓRIOS ULTRAMARINOS. SIGA-O NO INSTAGRAM @MRMILESOFICIAL

Mais conteúdo sobre:
turismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.