Vanda Biffani/Divulgação
Vanda Biffani/Divulgação

Com tempo extra, dedique-se ao encanto ribeirinho de Tigre

Para visitantes experientes em Buenos Aires ou para quem tem um dia extra, passar um dia em Tigre, nos arredores da capital, é uma deliciosa experiência. A charmosa cidadezinha tem um quê de Veneza, com seus obrigatórios passeios de barco. Mas conquista também por outras atrações: museus, comprinhas, boa comida. Tudo a 30 quilômetros da capital - ou 45 minutos de trem, saindo da estação Retiro.

TIGRE, O Estado de S.Paulo

14 Maio 2013 | 02h11

Ao desembarcar você já estará em frente ao terminal fluvial, coração turístico de Tigre. Passeios simples, com duração a partir de uma hora, saem o tempo todo e custam a partir de 45 pesos (R$ 17). Também há opções com navegação desde Buenos Aires, a partir de 290 pesos (R$ 111) na Sturla (sturlaviajes.com.ar).

Estamos no comecinho do delta dos rios de La Plata e Paraná, por onde se espalham centenas de ilhotas ao longo de 17 mil quilômetros quadrados, que abrigam, ao todo, cerca de 5 mil pessoas. O cenário é bucólico, com casinhas de madeira delicadas. Caiaques e canoas navegam entre os barcos que passam placidamente pelos rios estreitos. Ainda que não seja a água mais clara do mundo, costuma ser limpa e, no verão, convida a um mergulho refrescante.

Visto do rio, o prédio neoclássico do Museu de Arte Tigre (mat.gov.ar) parece ainda mais belo. Fica do lado continental da cidade e a entrada custa só 4 pesos (R$ 1,50). Outro endereço curioso é o Museu do Mate (elmuseodelmate.com). O simpático Jorge Díaz exibe sua coleção de quase mil peças para se tomar o bom e velho chimarrão - incluindo uma cuia de 1860. Ao fim do tour, você toma um pouco da erva. Haja tradição.

Lojinhas de decoração descoladas se espalham pelo Puerto de Frutos, espaço de entretenimento e comércio que abriga também o Parque de la Costa (parquedelacosta.com.ar). Leve as crianças - elas vão amar as enormes montanhas-russas e a entrada custa 70 pesos (R$ 27). Aos mais velhos, tente recuperar os pesos gastos no Cassino Trilenium (trileniumcasino.com.ar), que acaba de reabrir após reformas. / FELIPE MORTARA

Mais conteúdo sobre:
Viagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.