Como fazer o programa de milhagem funcionar?

Você se associa a um programa de milhagem de companhia aérea e junta pacientemente seus pontos. Quando finalmente acha que acumulou o suficiente para ir com a família para a Disney (ou Buenos Aires, ou Maceió em janeiro), descobre que não há assentos disponíveis, ou que a passagem-prêmio está pelo triplo de pontos da tabela normal. Revolta: esse programa é uma enganação!

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

10 Junho 2014 | 02h06

A verdade é que nunca foi fácil emitir passagens-prêmio internacionais nos programas de milhagem das companhias aéreas brasileiras. Mas agora, pior do que difícil, ficou caro: o Multiplus Fidelidade da TAM, o Smiles da Gol e os programas de recompensas dos cartões de crédito estão cobrando um número estratosférico de pontos de quem quer voar em datas muito procuradas.

Existem dois tipos de viajantes que conseguem emitir passagens internacionais na faixa. O primeiro é o passageiro frequente de companhias aéreas estrangeiras, que junta muitas milhas a trabalho, adquire status de elite no programa e aproveita a relativa generosidade das aéreas gringas na emissão de bilhetes grátis. O outro é o brasileiro que não desiste nunca: volta todos os dias ao site esperando aparecer um assento ou se pendura no telefone até encontrar um atendente que abrace a sua causa.

Se você não tem nenhum desses perfis, veja como o seu programa de milhagem pode render alegria ao invés de frustração:

1. Mire na baixa temporada: fora de feriados e férias é que estão os assentos fáceis de conseguir. Mas veja se a relação custo-benefício vale: na baixa temporada, as passagens internacionais entram frequentemente em promoção, e pode não valer a pena usar milhas (lembre-se de que a taxa de embarque é cobrada, e não é barata).

2. Foque no Brasil: rotas domésticas são a mina de pechinchas de milhas. Reserve com dois meses de antecedência (sempre fora de feriados ou férias) e você certamente achará assentos pela tabela ou por pontuação reduzida. Ano passado, meus 80 mil pontos (distribuídos entre Multiplus e Smiles) me renderam 10 trechos domésticos - incluindo destinos normalmente caros, como Manaus e Cuiabá.

3. Use em viagens de impulso: se por um lado subiu a milhagem exigida na alta temporada, por outro lado promoções de milhas ou pontos reduzidos são hoje mais frequentes. Fique de olho e faça uma viagem não planejada.

4. Presenteie: não tem como usar milhas fora de temporada nem está interessado em viajar pelo Brasil? Emita passagens como presente. Importe um sobrinho para passar o fim de semana com os primos; mande sua mãe ou sua tia viajar; patrocine a visita da funcionária da sua casa à cidade dela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.