Mônica Manir/Estadão
Mônica Manir/Estadão

Compras descoladas

43 galerias no centro da cidade oferecem de tudo um pouco para quem quer deixar alguns rands na cidade

Mônica Manir/Cidade do Cabo, O Estado de S. Paulo

06 Dezembro 2016 | 04h30

Na primeira quinta-feira do mês, galerias do centro ficam abertas das 17h às 21h oferecendo arte e eventos culturais (alguns gratuitos) num clima muito lekker, muito bacana. O que começou com seis galerias em 2012 se estendeu para 43 neste ano. A sugestão é dar uma olhada antes no site e pré-selecionar uns pontos. Entre tantos, tem a Chandler House, estúdio de design pequeno, que também é loja e galeria. 

Michael Chandler, o dono, faz uns bustos de cerâmica com a cabeça aberta que chama de vasos frenológicos. São bonitos, como são bonitos os pratos com o logo da VOC (Companhia Holandesa das Índias Orientais) e as canecas escorridas de dourado. Fica na Church Street, onde também pululam a Smith, a 99 Loop e a Olive Green Cat, uma joalheria que mistura diamante (a pedra do país) com resina. 

 Já na Bree Street, perpendicular à Church, você encontra a Skinny LaMinx, a Youngblood e a Villa 47, com sua culinária que mescla comida mediterrânea e asiática. Sim, restaurantes, bares e cafés também estão na jogada. Todas os locais da First Thursday abrem durante a semana até as 17h. Aos sábados, fecham às 14h.  Quem prefere shopping vai se esbaldar com o V&A Waterfront e suas mais de 450 lojas. Legal dar uma olhada na Watershed, no andar térreo.

É uma feira de artesanato e design com 150 stands, aberta aos sábados das 10h às 19h de outubro a abril e das 10h às 18h de maio a setembro. Uma das coisas mais diferentes que vi ali são vestidos que servirão em você de qualquer jeito. A vendedora faz ajustes na hora usando uma máquina de costura portátil que fica escondida atrás de um manequim. De quebra, ela emenda um turbante na sua cabeça, sem que isso signifique, pelo menos para ela, uma apropriação indevida da cultura africana. Complicado é reproduzir aquela amarração sozinha em casa.

Woodstock é um bairro antigo, de 1666, com vibe moderna. Destaque para o Old Biscuit Mill, ex-fábrica de biscoitos no coração do bairro que, aos sábados, reúne uma trempa de iniciativas no Neighbourgoods Marke. A Old Biscuit tem de artesanato e vinho a sapatos e brinquedos educativos, tudo barato. Come-se muito bem em estandes que juntam uma miscelânea de sotaques gastronômicos. Se quiser algo mais premiado, tente uma mesa no The Test Kitchen ou no Burrata.

Mais conteúdo sobre:
África do Sul África África do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.