Compras

Capital e centro financeiro do país, Bridgetown tem um comércio interessante. Chamada simplesmente de "town" pelos bajans, é na cidade que fica a apinhada Broad Street, frequentadíssima por moradores e turistas.

O Estado de S.Paulo

27 Setembro 2011 | 03h09

Grandes lojas de departamentos nos dois lados da rua vendem produtos sem impostos - isso mesmo, um grande free shop. Feito o pagamento, os vendedores pedem seu passaporte e entregam uma nota fiscal que deve ser apresentada à Receita Federal brasileira. Portanto, caso não queira pagar taxas quando voltar ao Brasil, tome cuidado para não ultrapassar a cota individual de compras no exterior, fixada em US$ 500.

Por sua conta e risco, você pode visitar as ruas paralelas à Broad Street, Victoria e Swan. Por lá, você vai encontrar comércio de rua, mais informalidade e menos turistas - algum cuidado extra é recomendável.

Também chamado dólar, o dinheiro oficial de Barbados vale metade do americano. As duas moedas são aceitas nos pagamentos em quase todos os estabelecimento - mas o troco, certamente, virá na versão local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.