Divulgação
Divulgação

Conexão branca

Da exclusividade do novo resort de Corralco ao despojamento de Valle Nevado, cada um acha sua trilha – ainda que leve alguns tombos para sentir nos pés a emoção de deslizar

FELIPE MORTARA / SANTIAGO, O Estado de S.Paulo

16 Julho 2013 | 02h11

Você pode até não saber esquiar ou nunca ter visto neve na vida, mas acredite: existe uma estação de esqui com a sua cara. E ela pode estar no Chile. A nós, cabe apresentar um pouco do astral de cada uma, dar um gostinho do que se encontra por lá. A você, leitor, a árdua tarefa de escolher entre tantas boas e tentadoras atividades.

Do clima despojado e esportivo que impera em Valle Nevado ao ar de sofisticação intimista de Chillán, passando pela tradição descontraída e familiar de Portillo até a exclusividade do recém-aberto hotel de Corralco. Cada pequeno detalhe do ambiente, o charme particular e a especialidade de cada estação agrada a um tipo de viajante. Neve, boas pistas para todos os níveis, ótima comida e vinho não faltarão. Uma delas fará seus olhos brilharem.

Saiba que a neve já deu as caras com bom volume no começo do mês, as pistas estão a toda e cada estação de esqui apresenta suas novidades para a temporada. Em infraestrutura, talvez a maior seja o lançamento da Gondola, em Valle Nevado. Com quase mil metros de extensão, é o primeiro teleférico com cabine fechada do Chile, e tem capacidade para até seis pessoas - esquiadores ou não.

Os números mostram que os brasileiros gostam cada vez mais da ideia de relaxar - e se aventurar - nas frias montanhas chilenas. Mais próxima de Santiago, a 1h30 de viagem, Valle Nevado recebeu no ano passado 60 mil brasileiros, 25% a mais que em 2011. Já Chillán, no sul do país, teve 8 mil compatriotas entre seus hóspedes na última temporada e prevê pelo menos mil a mais em 2013. Portillo espera 30% mais brasileiros este ano.

Caçula. O ambiente parece desafiador: uma estação de esqui cujas pistas ziguezagueiam pelo flanco de um vulcão. Na realidade, uma paisagem cativante, muito inspiradora e nada ameaçadora. É neste contexto, dentro da Reserva Natural Malalcahuello-Nalcas, aos pés do vulcão Lonquimay, a 1.400 metros sobre o nível do mar, que o Valle Corralco Mountain Ski & Resort abriu suas portas há um mês.

Apesar de a estação de esqui já funcionar há 8 anos, só agora ganhou um hotel à altura e a poucos metros dos teleféricos. Espalhados por mais de 5 mil metros quadrados, 54 quartos de luxo abrigam, no máximo, 120 hóspedes. A infraestrutura conta com spa, piscina coberta e jacuzzi. Três restaurantes não deixam a barriga vazia, sendo o Zorro con Botas, de comida típica, o que tem a vista mais linda. O arquiteto Santiago Valdez aplicou pedras e madeira de modo a integrar o edifício com a paisagem local. E que paisagem.

Para desfrutar dos mais de 5 quilômetros quadrados de área esquiável, cinco teleféricos o levam a desbravar as 25 pistas com vários graus de dificuldade. Aos mais corajosos, resta saber que o ponto mais alto alcança os 2.300 metros. Quando a disposição para deslizar na neve acabar, o hotel oferece caminhadas com raquetes de neve e passeios de snowmobile. O tédio nem passa perto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.