Divulgação
Divulgação

Conheça 5 trilhas com cachoeiras perto de Brasília

De nível leve até aventureiro, há opções para todos os gostos

Luísa Laval, Especial para o Estado

05 de novembro de 2019 | 09h00

Além de monumentos históricos e edifícios públicos, Brasília também tem espaço para o turismo na natureza. A partir de 30 minutos de carro, há opções de cachoeiras tanto para quem curte trilhas mais aventureiras quanto para quem só quer paz e natureza. Separamos seis opções de trilhas, com diversos tipos de quedas d’água e piscinas naturais, além de dicas para aproveitar ao máximo os passeios.

Poço Azul

O Poço Azul é uma das cachoeiras mais conhecidas do Distrito Federal, localizado em Brazlândia, a 50 km da capital, com cerca de 1h de percurso de carro. O poço é formado por uma gruta, em que é possível nadar, e por uma cachoeira. O local é de fácil acesso, com descida e subida a pé por um trecho de terra e poucas pedras. Os carros são deixados no estacionamento da portaria.

Além da beleza, a cachoeira conta com precipícios nos quais é possível saltar para o poço, variando de altura de 10 a 15 metros. A profundidade é de cerca de 40 metros. No entanto, é recomendado que apenas pessoas experientes saltem dessa altura, para evitar acidentes.

Nos fins de semana e feriados, o local costuma ficar cheio de visitantes. Uma alternativa é visitar uma das outras 7 cachoeiras do complexo do Poço Azul – para chegar até elas, porém, é preciso enfrentar trilhas um pouco mais longas e íngremes.

Entre as quedas mais conhecidas, está a Cachoeira da Cascata: é preciso percorrer um trecho com apoio de uma corda para descer e para subir na volta. A corda já está amarrada no local e é própria para a escalada. Outras quedas famosas são a Cachoeira Mãe e a Cachoeira Vida (não própria para banho, sendo vista da parte de cima).

O quê: Poço Azul

Quanto: R$ 10 por pessoa

Onde: Brazlândia (DF). Acesso pela DF-001 (trecho com estrada de terra).

Horário: Todos os dias, das 7h às 18h

Telefones: (61) 99902-9928

Tororó

Pode até ser que você não encontre uma “morena”, como na cantiga infantil Fui no Tororó, mas vai encontrar uma das cachoeiras mais populares do Distrito Federal. De acesso fácil e gratuito, o Salto do Tororó tem várias trilhas possíveis: a mais conhecida tem cerca de 9 km, e pode ser percorrida a pé ou de bike. A maior parte é de terreno plano, com uma descida entre pedras no trecho final (ciclistas precisam carregar a bike a partir daí). De carro, é possível estacionar perto da entrada da trilha e caminhar um quilômetro.

O acesso fica a 30 km de Brasília, na região de Santa Maria. As entradas para a trilha são um pouco escondidas, então é preciso estar atento: de carro, a mais indicada está próxima do km 6, entre o Condomínio Quintas Santa Bárbara e o Residencial Santa Mônica. De bike, procure um prédio de lojas e padarias, logo após o km 4.

O quê: Salto do Tororó

Quanto: gratuita

Onde: Acesso pela DF-140, próximo ao km 6

Horário: livre

Chapada Imperial

Localizada no ponto mais alto do Distrito Federal, a Chapada Imperial é opção para quem curte trilha com mais infraestrutura: há guias, transporte interno no retorno das cachoeiras e píeres próximos às piscinas para deixar a mochila ou sentar-se. A região encontra-se dentro de uma propriedade particular, e possui uma reserva ecológica com cerca de 30 cachoeiras e piscinas naturais, divididas em três trilhas por distância: curta, média e longa.

A trilha curta possui 1 km e é possível visitar quatro poços, três cachoeiras e dois mirantes. O percurso é indicado para grupos que tenham crianças ou idosos. A trilha média possui 3 km, com desníveis de até 200 metros e paradas em 15 cachoeiras para banho. A trilha longa tem caminhada de 4 km e desnível de até 400 metros. Nesse caminho, os visitantes passam pelas 30 quedas d’água, com destaque para as cachoeiras Rainha e Imperial, que dá o nome à Chapada. As duas últimas são adequadas para adultos e crianças a partir dos sete anos de idade.

Todos os pacotes de passeios oferecem almoço caseiro após a trilha, local com prática de arvorismo e tirolesa, um espaço com redes para descanso e a presença de animais que estão em processo de readaptação para voltarem à natureza. É um programa agradável para toda a família.

A Chapada Imperial se encontra a cerca de 50 km de Brasília, na região de Brazlândia. Há um trecho grande de estrada de terra e é preciso tomar cuidado com a quantidade de buracos no percurso. É preciso reservar o passeio com pelo menos um dia de antecedência e há desconto para pagamento antecipado.

O quê: Chapada Imperial

Quanto: R$ 100 (adulto); R$ 60 (crianças a partir de 3 anos)

Onde: Brazlândia (DF), DF-220. Confira como chegar aqui.

Horário: Nos fins de semana, saída às 10h (trilha longa); às 10h20 (trilha média) e às 10h40 (trilha curta). Para visitas em dias de semana, é necessário organizar um grupo de pelo menos dez pessoas;

Telefones: (61) 99996-1601 / (61) 99961-9068 / (61) 3034-3088; E-mail: chapadaimperial@gmail.com

Salto do Itiquira

O Salto do Itiquira é a segunda maior cachoeira da América Latina, atingindo 168 metros de altura. Por ser tão forte, não é possível nadar por perto, mas é possível sentir gotículas de água respingando no rosto a 100 metros de distância da queda e contemplar a beleza do local. O ponto turístico se encontra a cerca de 120 quilômetros de Brasília, a 2h de carro, na cidade de Formosa (GO).

É possível tomar banho em piscinas naturais formadas logo após o salto. O complexo se encontra dentro de um parque administrado pela Prefeitura Municipal de Formosa (GO), com área pavimentada até a chegada das piscinas e ambiente arborizado.

O parque conta com estacionamento, banheiros e lanchonete. É uma opção agradável para quem curte tomar banho em piscinas naturais, mas não gosta de trilhas. Quem tiver um perfil mais aventureiro pode conhecer o Salto do Itiquira da parte de cima, em que é necessário caminhar por uma trilha mais árdua e com outras opções de cachoeiras.

O quê: Salto do Itiquira

Quanto: R$ 20 por pessoa Onde: Acesso pela GO-524, Formosa (GO). Confira como chegar aqui.

Horário: todos os dias, entrada das 9h às 16h. Saída até 17h.

Telefone: (61) 3981-1234; E-mail: visiteformosa@gmail.com

Trilha de Indaiá

Para quem quer conhecer o Salto do Itiquira por outro ângulo, é possível acessá-lo pela por uma trilha que leva para a parte de cima da queda d’água, ao longo do Rio Itiquira, caminhando por uma trilha com cerca de 15 km (ida e volta), passando por cerca de 30 nascentes e outras cachoeiras disponíveis para banho.

As cachoeiras mais conhecidas são o Véu da Noiva, com duas quedas que, juntas, somam 40 metros de altura, e a cachoeira de Indaiá, com 30 metros. Ao final, os visitantes chegam à parte de cima de Itiquira, com uma vista muito bonita do Cerrado ao redor.

É preciso tomar cuidado, pois a trilha possui subidas íngremes e algumas pedras soltas. Os guias recomendam começar a caminhada até, no máximo, meio-dia, para dar tempo de voltar antes de anoitecer. Mesmo assim, é possível parar em alguma das cachoeiras a partir de 30 minutos de caminhada e aproveitar as piscinas naturais, como a da Cachoeira do Espanhol.

O acesso à trilha fica a 70 km de Brasília, em uma propriedade particular, com entrada diferente do Parque Municipal do Itiquira. O local conta com estacionamento.

O quê: Trilha da Cachoeira do Indaiá + Salto do Itiquira (parte de cima)

Quanto: R$ 20 por pessoa

Onde: entrada pela Fazenda Citates. Acesso de carro pela GO-430, km 2.

Horário de funcionamento: Entrada das 7h às 12h para a trilha até o Salto do Itiquira. Demais percursos, até 17h.

Telefones: (61) 99985-4577 / (61) 99833-8344; E-mail: citates@gmail.com

Dicas de segurança

Pesquise se a época do ano é adequada para conhecer a cachoeira que você pretende visitar. Muitos locais, têm riscos de tromba d’água, quando há aumento repentino do volume de um rio, podendo ocultar trilhas e causar afogamentos.

Procure saber se há previsão de chuva em algum lugar próximo da cachoeira e, se necessário, abandone-a o mais rápido possível. Em Brasília, esse risco é maior nos períodos de chuva, especialmente entre outubro e abril.

Utilize roupas e calçados adequados para trilhas. Chinelos e sandálias podem escorregar facilmente dos pés em terrenos pedregosos ou molhados, além de estarem mais expostos a pedras e picadas de animais. Opte por uma calça de material adequado e que proteja de arranhões na mata.

Use protetor solar, boné e beba bastante água, para evitar riscos de insolação. Renove o protetor de três em três horas ou a cada vez que entrar na água. Especialmente em Brasília, a umidade do ar é mais baixa e pode incomodar quem não está acostumado.

Ande em grupo e apenas em trilhas conhecidas. Se necessário, contrate um guia para garantir a segurança. Procure voltar antes de escurecer ou vá para um local apropriado para acampamento.

Caminhe com cuidado por cima de pedras. Elas podem não estar fixas no local ou escorregadias por causa de água e lodo.

Não se aproxime de quedas d’água muito altas: a correnteza pode puxar o nadador para dentro da água e dificultar a saída. Seja precavido com corredeiras de rios, ainda que pareçam leves.

Tome muito cuidado ao pular de rochas e precipícios de cachoeiras. Certifique-se de que há profundidade suficiente e não há obstáculos no caminho da queda. Acrobacias podem causar acidentes caso o corpo caia na posição errada.

Recolha o lixo e restos de alimentos produzidos ao longo da trilha. Se necessário, leve uma sacola plástica ou outro recipiente para descarte após a saída.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasília [DF]cachoeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.