Daniel Teireira/ Estadão
Daniel Teireira/ Estadão

Conheça o kvass, a famosa bebida russa para quem não aguenta vodca

No segundo episódio da série A Rússia Logo Ali, nós ensinamos a fazer o kvass, bebida fermentada à base de pão preto de centeio que vai servir de drinques para os gols do Brasil na Copa do Mundo de 2018

Da Redação, O Estado de S.Paulo

16 Março 2018 | 20h27

Quando se pensa em bebida russa, a primeira coisa que vem à cabeça certamente é vodca. Mas engana-se quem acha que o destilado é a única opção alcoólica popular no país da Copa do Mundo de 2018. O kvass também ocupa lugar de destaque nos mercados, nas ruas e nos corações dos russos e de moradores de outras partes do Leste Europeu

O que é? O kvass é uma bebida fermentada à base de pão preto de centeio, com teor alcoólico que varia de 0,5% a 2% . É bastante semelhante à cerveja, sendo vendida inclusive em cervejarias europeias. A diferença é que é consumida até por crianças, lembrando bastante nossos refrigerantes ou refrescos no verão. 

E não é só porque crianças tomam kvass que ele parece refrigerante. Como é feito à base de pão preto torrado, possui um amargor que lembra o gosto dos refrigerantes de cola. Outra razão é histórica: segundo Rogério Sventkauskas, de descendência lituana e produtor de kvass no Brasil, durante a URSS, marcas de refrigerantes estrangeiras não tinham fácil acesso às prateleiras soviéticas, contribuindo para que o kvass se tornasse mais popular.

Onde encontrar? Por ser muito antigo, fez parte de muitos rituais além de servir como bebida e, até hoje, algumas pessoas tomam banhos terapêuticos de kvass (assim como na República Tcheca há banhos de cerveja). Como bebida, não possui uma ocasião especial para ser apreciada. Quem vai à Rússia no verão pode encontrar pelo caminho os pequenos caminhões pipa com kvass artesanal dentro. Basta pedir um, pagar e se deliciar. Ou então ir a um supermercado, onde são vendidos os industriais.    

Há várias receitas para um bom kvass, dependendo do gosto final desejado. A receita que leva hortelã, mel, uvas passas e açúcar mascavo é uma das mais tradicionais e é a que Sventkauskas nos ensina a fazer. Para comprar pronto e no Brasil, há dois caminhos: ir à Feira do Leste Europeu, que ocorre uma vez por mês no bairro da Vila Zelina, na zona leste de São Paulo, ou então entrar em contato com Sventkauskas através do e-mail gandras.alus@yahoo.com.br ou da página no Facebook @GandrasAlus

Como fazer? Se você quer se aventurar e preparar o seu próprio kvass em casa e/ou conhecer mais sobre essa bebida típica, assista ao vídeo desta reportagem.

Confira a seguir os ingredientes que usamos e o modo de preparo. A bebida dura em média 3 dias na geladeira e deve ser armazenada em uma jarra ou garrafas pet.  

INGREDIENTES

- 100 gramas de pão preto de centeio

- 50 gramas de mel

- 150 gramas de açúcar mascavo

- 50 gramas de uva passa

- 2,3 gramas de fermento biológico sólido 

- 1/4 maço de hortelã

- 1 litro de água

MODO DE PREPARO 

1. Corte o pão em tiras e torre no forno preaquecido (20 a 30 minutos)

2.  Enquanto isso, ferva a água

3.  Retire as torradas do forno e jogue a água quente sobre elas. Deixe esfriar de 12h a 24h

4. Adicione o fermento e deixe descansar por 2 ou 3 dias

5. Filtre a mistura após a fermentação e transfira para uma jarra

6.  Adicione os temperos e leve à geladeira por 8 horas

7. Filtre novamente para ficar apenas o líquido

8. Sirva em taças (se gostar, pode acrescentar algumas uvas passas no copo)

Para assistir ao vídeo no seu formato original, siga o perfil do Instagram do Viagem(@viagemestadao). Toda sexta-feira, às 16h, até o dia 15 de junho, tem material novo no ar. E, para conferir os antigos, procure os ícones salvos na área de destaque, abaixo da bio. Confira o material completo também no site do Viagem Estadão

Agradecimentos: Rogério Sventkauskas, Denise Coutinho, Mônica Nobrega, Adriana Moreira, José Leme, Thiago Lasco, Leandro Augusto, Gilberto Amendola e Lucineia Nunes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.