Scott Audette/Reuters
Scott Audette/Reuters

Consulados dos EUA têm fila para renovação de vistos, mesmo fechados

Quem tenta entrar na fila para agendar o documento agora só encontra vaga no fim do ano em São Paulo ou no Rio, mas ainda não há data para os consulados reabrirem

Anelise Zanoni, Especial para o Estadão

20 de abril de 2021 | 05h00

Em fevereiro de 2020, organizei uma viagem para a Flórida, nos Estados Unidos, que parecia um sonho. Seriam 20 dias do mês de junho percorrendo o leste e o oeste de uma das regiões mais animadas do Estado americano. A pandemia chegou em março, e aí você já sabe o desfecho da história: nada de viagem. 

Agora, no momento em que os Estados Unidos estão em uma grande corrida pela vacinação, surge a esperança de viajar novamente. Porém, não posso reativar os planos: além de o Brasil estar num momento delicado, estou sem visto para os Estados Unidos. Meu documento venceu em agosto passado e precisa ser renovado. Pesquisando sobre o tema, descobri que eu e possivelmente mais de 1 milhão de brasileiros estamos com o visto vencido e, consequentemente, sem autorização para entrar no país. E não temos a mínima previsão de quando conseguiremos novamente o documento. 

Atualmente, há disponibilidade de vagas para agendamentos para o fim de outubro e início de novembro no consulado de Porto Alegre. Quem busca cidades mais concorridas, como São Paulo e Rio de Janeiro, talvez consiga vaga apenas no fim do ano ou apenas em 2022.

O que explica essa quantidade de gente com o visto vencido é um benefício que os Estados Unidos concederam aos brasileiros a partir de 2010. Desde maio daquele ano, os viajantes daqui que solicitavam um visto para turismo e negócios (B1/B2) tinham a chance de receber o documento com validade de dez anos, que expiraria a partir de 2020. 

Em 2010, os Estados Unidos emitiram um total de 505.717 vistos das categorias B1, B2 e B1/B2. Em 2011, a quantidade foi maior e chegou a 746.341 vistos das mesmas categorias, de acordo com dados do U.S. Department of State.

Com a chegada do fatídico 2020, ficamos com os vistos vencidos e sem a possibilidade de renová-los, pois os consulados no Brasil fecharam com a pandemia. Conforme declaração do porta-voz da Embaixada dos Estados Unidos, Tobias Bradford, ainda não há previsão para o retorno das atividades. Porém, é possível que o cenário mude, conforme os funcionários forem vacinados.

“Estamos trabalhando com o Departamento de Estado para viabilizar um plano de vacinação para os funcionários da embaixada e dos consulados, porque acreditamos que a vacinação faz parte de uma estratégia ampla para conter a pandemia, bem como o distanciamento social e o uso de máscaras”, explicou Bradford, em entrevista por e-mail ao Estadão

Enquanto os escritórios não abrem, as entrevistas rotineiras e a entrega de documentos necessários para renovação estão suspensas. Apenas quem precisa de visto de emergência tem a solicitação sob avaliação.

Vale entrar na fila para o visto mesmo assim

Ainda assim, a dica é entrar na fila para renovar documento. Mesmo com fronteiras e consulados fechados e sem perspectiva de abertura, vale a pena agilizar o pedido de renovação, porque a fila de espera é grande.

Quem tem o visto expirado a no máximo 12 meses consegue fazer o procedimento sem a necessidade de entrevista presencial, mas precisa se programar para agendar a entrega de documentos. Neste momento, em casos de renovação com até 12 meses deve-se preencher o formulário DS-160, pagar taxa de US$ 160 a US$ 240 dólares (de acordo com a categoria do visto) e agendar uma data para a entrega de documentos.

Especialista em auxiliar viajantes na emissão de vistos, Monika Sperotto, sócia da agência TOP Vistos, afirma que desde o início da pandemia os agendamentos vêm sendo cancelados e não têm permitido a entrega de documentos, justamente porque os consulados estão fechados. “É importante garantir lugar na fila para quando os escritórios abrirem. Durante todos esses meses de pandemia, os cancelamentos são feitos até 15 dias antes da data do agendamento, então é possível se programar”, diz Monika, que afirma ter um cliente que já soma oito cancelamentos de entrevista.

Alternativas

Com as portas fechadas nos consulados dos Estados Unidos no Brasil, alguns brasileiros vêm encontrando soluções alternativas para conseguir autorização para entrar em solo americano. A empresa de Monika, com sede em Porto Alegre, tem encaminhado clientes para países como Panamá, Paraguai e Equador para fazer o visto. No início da pandemia, ela também conseguia direcionar viajantes para o Uruguai, atualmente com as fronteiras fechadas.

“São pessoas que geralmente viajam para estudar, porque ganharam bolsas de estudos de universidades americanas ou são jogadores de futebol. Nesses casos, elas fazem a quarentena no país que emitiu o visto e, de lá, já partem direto para os Estados Unidos”, explica a empresária.

Dupla cidadania

Outra solução tem sido a aquisição da dupla cidadania. Especializada em soluções migratórias, a Rotunno Immigration Solution & Business presta assessoria para todos os tipos de visto para os Estados Unidos. A empresa com sede em São Paulo percebeu aumento nos pedidos de consultoria durante a pandemia e no interesse pela dupla cidadania, principalmente de países como Portugal e Itália. Além de ser um facilitador para percorrer o mundo e viver em diferentes países, alguns tipos de cidadania eliminam a necessidade de visto para entrar nos Estados Unidos. 

“Um cliente detentor de passaporte europeu não precisa se preocupar em obter visto consular para negócios e turismo no consulado americano, atualmente fechado. Ele ingressa nos Estados Unidos somente com uma declaração eletrônica de viagem (Esta)”, explica Gustavo Gerhardt, diretor da empresa. Ainda assim, é preciso ter em mente que os processos de obtenção de cidadania são demorados. Com um advogado especializado, que costuma agilizar o processo, leva-se pelo menos de dois a três anos. 

CONFIRA AS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE A RENOVAÇÃO

Quem se qualifica para a renovação do visto?

- Cidadãos brasileiros e argentinos cujo o último visto tenha sido emitido no Brasil;

- Solicitantes cujo visto de não imigrante ainda esteja válido ou vencido dentro do período de 12 meses e que desejam renovar a mesma categoria de visto; 

- Solicitações anteriores as quais foram capturadas as dez digitais;

- Solicitantes que não tenham reportado perda ou roubo do passaporte com o visto americano mais recente;

- Solicitações de vistos recentes que não foram recusadas.

Quem pode renovar sem entrevista?

- Brasileiros que vivem no Brasil e que tenham visto válido ou expirado em até 12 meses. Porém, é preciso agendar a entrega de documentos no Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV). Em Porto Alegre, o agendamento é feito no Centro de Entrega de Documentos (CED). 

- Essa regra é válida para as seguintes categorias de visto americano: B1/B2 (Negócios, turismo e/ou tratamento médico), C1/D (Trânsito/Tripulante), F/J (Estudante) e M (Estudante de curso vocacional).

O que fazer

- Preencher em inglês o formulário DS-160, disponível no site da Embaixada dos Estados Unidos, e efetuar pagamento da taxa do visto (que varia entre US$ 160 e US$ 240). Depois, agendar a entrega dos documentos. Por causa da pandemia, por enquanto não há previsão de atendimento nos consulados, mas é possível entrar na fila.

- Caso você consiga agendar e os escritórios estejam funcionando, compareça pessoalmente ou envie um representante para entregar a documentação: passaporte válido, passaporte anterior com o visto atual, a página de confirmação do formulário DS-160 com código de barras e a página de confirmação de agendamento, foto 5x5 ou 5x7.

- Se aprovado, o novo visto possivelmente é emitido no prazo de até dez dias úteis.

- Em alguns casos, os solicitantes podem ter de enviar informações adicionais ou de comparecer para uma entrevista com o oficial consular.

- Informações: bit.ly/vejaovisto

Prazo prorrogado

De acordo com o site da Embaixada dos Estados Unidos, solicitantes que já pagaram a taxa de processamento do pedido de visto e esperam para agendar a entrevista terão a validade de pagamento (conhecida como taxa MRV) prorrogada até 30 de setembro de 2022. É uma medida que garante que todos os solicitantes tenham oportunidade de agendar para conseguir o documento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.