Celso Filho/Estadão
Celso Filho/Estadão

Um cruzeiro antes dos furacões

Repórter navegou por uma semana no navio Pullmantur Zenith

Celso Filho, Santo Domingo / O Estado de S.Paulo

26 Dezembro 2017 | 04h45

Antes da severa temporada de furacões que assolou o Caribe neste segundo semestre, embarcamos em um cruzeiro da empresa espanhola Pullmantur a bordo do navio Zenith. O roteiro de uma semana partia de Santo Domingo, na República Dominicana, e seguia para St. Maarten, Antígua e Santa Lúcia, com ponto final em Barbados.

Por causa dos estragos, o roteiro do Zenith foi alterado. Na temporada 2018, saem St. Maarten e Barbados e entram St. Kitts & Nevis e Guadalupe. 

Remodelado em 2013, o Zenith é um confortável navio de 12 deques com capacidade para até 1.900 passageiros em 720 cabines. Os destaques dos cruzeiros Pullmantur para o mercado brasileiro são o atendimento em português e a proposta all-inclusive que abrange as bebidas, alcoólicas e não alcoólicas. A seguir, detalhes sobre a experiência nas ilhas que fizeram parte do roteiro - e que continuam na próxima temporada. 

República Dominicana

Ponto de partida do Zenith e capital da República Dominicana, Santo Domingo foi capital das Américas e guarda muita história na zona colonial, onde há vários restaurantes e lojas de souvenir. No Parque Colón está a Catedral Primada de América, a primeira do continente, que começou a ser construída em 1521 e reúne diferentes estilos arquitetônicos. Bermudas e roupas curtas são proibidas na visita.

Às margens do Rio Ozama, o Museu Alcázar de Colón (US$ 2) é uma fortificação que serviu de moradia para o filho de Cristóvão Colombo, Diego, no século 16.

Bayahibe, uma vila de pescadores de onde partem catamarãs para a Ilha Saona, não fica longe da capital. Na ilha, o programa é relaxar em águas calmas e transparentes e observar as impressionantes estrelas-do-mar em piscinas naturais. Tours custam de US$ 60 a US$ 100 por pessoa e, em geral, incluem refeição. 

Se o dia não der praia, siga para a vila Altos de Chavón. Fica na região de Casa de Campo, que concentra mansões e campos de golfe, foi construída em 1970 e imita um vilarejo mediterrâneo. São vielas e casas de pedra em um ponto alto diante do Rio Chavón, com vista deslumbrante. Há oito restaurantes, museus, uma pequena galeria de arte, a igreja onde Michael Jackson se casou com Lisa Marie Presley e um anfiteatro para 5 mil pessoas que já recebeu Frank Sinatra (1915-1998). 

Antígua

A ilha irmã, Barbuda, foi parcialmente afetada, mas Antígua nem chegou a fechar efetivamente para o turismo. Pertencente à Commonwealth, guarda resquícios da colonização, como igrejas anglicanas e o gosto pelo críquete, disputado no estádio Sir Vivian Richards. Atrai famosos como Eric Clapton para seus resorts de luxo.

Um passeio que está em alta é o nado com arraias em um banco de areia cercado de corais a cinco minutos de navegação da praia. Há centenas delas - é possível tocá-las e alimentá-las com pedaços de lula, com a ajuda dos guias. O passeio é feito pela Stingray City Antigua (stingraycityantigua.com) e custa cerca de US$ 80.

Santa Lucia

Verde e úmida, Santa Lúcia tem um cenário único no Caribe - e está em plena forma. Também integrante da Commonwealth, tem 600 quilômetros quadrados de território. A melhor forma de explorá-lo é conseguir um guia e um carro para, a partir da capital, Castries, onde aporta o cruzeiro, descobrir suas estradas cheias de curvas, subidas íngremes e o mar de um tom mais escuro do que aquele que você viu até aqui. 

Há mirantes nos acostamentos, com vistas de encher os olhos e vendedores de frutas e artesanato oferecendo seus produtos. Garanta no tour a passagem pelo símbolo local: as montanhas gêmeas Pítons, em Soufrière, a cerca de 50 quilômetros da capital. 

Cruzeiros Pullmantur

Veja pacotes all-inclusive, com bebidas alcoólicas e não alcoólicas, para os dois navios da Pullmantur que farão roteiros no Caribe na temporada 2018. À venda na R11 Travel (11-3090-7090). 

Zenith: com saída em 3 de março de Santo Domingo (República Dominicana), são 7 noites a bordo, com paradas em Basseterre (St. Kitts & Nevis), Point-à-Pitre (Guadalupe), St. John’s (Antígua) e Castries (Santa Lucia). O preço por pessoa em cabine interna dupla começa em R$ 624. 

Monarch: a saída é em 23 de fevereiro de Colón, no Panamá. Há paradas em Cartagena (Colômbia), Willemstad (Curaçau), Kralendijk (Bonaire) e Oranjestad (Aruba). Custa a partir de R$ 1.599 por pessoa em cabine interna dupla. 

Mais conteúdo sobre:
Cruzeiros Caribe [América Central]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.