Cuidado com conexões desconectadas

De Londres à Alemanha, vale a pena trem? É a primeira viagem da família, queria proporcionar a eles uma experiência como essa (Eduardo, São Paulo).

RICARDO , FREIRE, O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2011 | 03h08

A viagem ideal de trem dura até três horas; até quatro horas, ainda é mais rápida do que qualquer viagem de avião, por causa da grande quantidade de procedimentos aeroportuários. É possível ir de Londres a Colônia em 4h20, com conexão em Bruxelas (eurostar.co.uk). Para outras cidades (Munique, Berlim) o melhor é ir de avião. Neste caso, você pode optar por uma das muitas viagens de trem que existem dentro da Alemanha. Compre em bahn.de/international.

Pretendo dividir quatro semanas de férias

entre Paris, Londres e Holanda. Não é muito tempo para poucos destinos? (Francisco, São Paulo).

A única viagem que desaconselho é a que exagera no pinga-pinga, com um pernoite em cada lugar - são cansativas e pouco produtivas. Permanências longas numa mesma cidade podem ser sensacionais - uma boa opção é alugar um apartamento e viver um pouco da rotina dos moradores. Querendo visitar mais destinos sem sair muito desse eixo, você pode montar bases de três a cinco dias na Escócia, Bélgica, Normandia ou Vale do Loire.

Evite ao máximo programar deslocamentos com passagens desvinculadas. Por exemplo: ir até a Europa com uma companhia aérea, com passagem regular ou de milhas, e fazer baldeação para um trem ou uma low-cost. Se a primeira perna da viagem atrasar, você perde a segunda. Mesmo que tudo dê certo, o estresse não compensa. Procure sempre comprar a passagem aérea até o primeiro destino que você vai efetivamente visitar, com a volta desde o último destino do roteiro. Desta maneira, se ocorrer algum problema, você terá a quem reclamar e pedir assistência ou ressarcimento. Caso isso encareça demais a passagem (não deixe de pelo menos orçar!), sugiro um pernoite na cidade da conexão.

* Acompanhe o caminho do colunista em viajenaviagem.com. Esta semana Ricardo Freire está em Portugal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.