Divulgação
Divulgação

Cuidados com a mala antes do embarque

As principais curiosidades do continente. Conheça o clima, o relevo, a geografia, cultura e economia dos países que integram a Oceania

Mônica Nóbrega, O Estado de S. Paulo

23 Junho 2015 | 00h00

Garantias não existem. Mas algumas estratégias aumentam as chances de você e sua mala terem um feliz reencontro no aeroporto, imediatamente após o desembarque. Ou pelo menos da sua viagem não ficar arruinada em caso de mala fujona. 

IDENTIDADE VISUAL

Nome, telefone e e-mail devem estar na tag pendurada do lado de fora e também em etiquetas no interior (para o caso de a tag ser arrancada). Use ainda pingentes, cintas, lenços e qualquer enfeite que diferencie sua mala das demais. 

BEM TRANCADA

Sempre use cadeado. Se o destino for os Estados Unidos, prefira o modelo TSA, que pode ser aberto sem danos pela fiscalização do país. Outra dica de ouro é escolher um modelo de mala que permita travar os zíperes em uma posição fixa – os que continuam correndo mesmo depois de atados a um cadeado facilitam um tipo de golpe em que, com a ajuda de um lápis, a mala é violada e, depois, fechada como se nada tivesse acontecido. Você só percebe a falta de itens mais tarde. 

EM MÃOS

Leve a sério a bagagem de mão. Pense no clima no momento da chegada e nos dias subsequentes. Inclua medicamentos, roupas íntimas, mais de uma camiseta e um traje adequado ao seu primeiro compromisso – uma reunião ou jantar mais formal, por exemplo. 

GADGETS E VALORES

Na bagagem de mão devem ir também eletrônicos, objetos caros (como joias) e os de valor sentimental. Nem pense em despachá-los. 

SEM OSTENTAÇÃO

Aquela mala carésima da Prada não será indenizada pela companhia aérea se desaparecer para sempre. Use algo mais simples.

EVITE RUÍDO

Jamais deixe na mala etiquetas antigas esquecidas de viagens anteriores.

A PRESSA É INIMIGA

Chegue cedo mesmo que tenha feito o check-in online: confira a etiqueta da mala a ser despachada para ter certeza de que o código do aeroporto indicado nela coincide com o do cartão de embarque. Conexões com prazo apertado são prato cheio para o extravio de bagagem: você pode até conseguir correr e pegar o próximo voo, mas a mala provavelmente ficará para trás.

LEIA MAIS: Justiça manda Gol indenizar casal que teve bagagem de casamento extraviada

Mais conteúdo sobre:
Bagagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.