Cuidar de crianças por um ano, no exterior. Eis o desafio das au pairs

A atividade, remunerada, é dirigida a jovens de 18 a 26 anos: ótima oportunidade de imersão cultural

Camila Anauate, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2008 | 02h45

Acorda as crianças, dá banho, prepara o café. Leva para a escola - o mais novo está chorando, quer brincar, mas agora é hora de arrumar o quarto -, faz almoço, pega o mais velho na escola, coloca o pequeno para tirar uma soneca. As crianças não se cansam de bagunçar; respira fundo, organiza a casa antes que os pais cheguem, ajuda com o jantar, trava uma batalha para elas dormirem. Ufa! Com muito jogo de cintura, a estudante Gisele Prata, de 22 anos, cumpre sua rotina de au pair (nome do programa de um ano em que a jovem mora em casa de família no exterior e cuida de crianças). Nem parece que ela está nessa função há apenas um mês. Pegou rápido a prática. ''Foi muito mais fácil do que podia imaginar'', conta. O medo de não conseguir controlar o comportamento das crianças foi embora com as primeiras semanas de trabalho. ''O mais difícil, na verdade, é lidar com a saudade de casa.'' Gisele deixou a família, os amigos e a faculdade de Ciências Sociais em Brasília e embarcou, no início de maio, para os Estados Unidos. O objetivo? Ser au pair durante um ano. ''Eu queria ter uma experiência internacional e escolhi esse programa para me inserir 100% na cultura americana.'' Naquela semana de maio, outros 142 jovens de 28 países desembarcaram em Nova York com Gisele para participar do treinamento de três dias da Au Pair Care, agência americana responsável pelo programa. As brasileiras eram nada menos do que um terço da turma. ''Mandamos dezenas de meninas toda semana'', comenta a gerente de Comunicação do STB, Claudia Martins. O programa de au pair está cada vez mais popular. Primeiro porque é bastante acessível - custa, em média, US$ 500. Depois, porque reúne todas as condições favoráveis para quem quer realmente aproveitar o intercâmbio. ''As meninas moram com famílias americanas durante um ano e ainda têm a oportunidade de estudar, o que é ótimo para aprimorar o inglês'', explica Claudia. Para participar, as jovens devem ter entre 18 e 26 anos, inglês intermediário e alguma experiência com criança (são necessárias pelo menos 20 horas). O processo de escolha da host family ocorre pela internet. As famílias e as candidatas ficam cadastradas em um banco de dados e começam a se corresponder de acordo com perfis e afinidades. ''Eu logo me identifiquei com essa família'', lembra Gisele. Ela conta que o local onde eles moram (Williamsburg, Virgínia) também pesou na decisão. ''É perto de Washington D.C., e eu quero estar lá durante as eleições.'' Toda au pair recebe um salário semanal de US$ 176,85 (esse valor passa a valer em julho), tem pelo menos um dia de folga por semana e duas semanas de férias remuneradas. A família tem o dever de pagar uma bolsa-auxílio de US$ 500 para que a jovem possa fazer um curso relacionado à língua inglesa ou à cultura americana. Segundo a Au Pair Care, desde que a empresa começou a atuar, em 1989, cerca de 25 mil jovens passaram pelo programa. Hoje, 4 mil au pairs trabalham nos Estados Unidos. TREINAMENTO Nova York é o primeiro destino das au pairs. Elas passam três dias na cidade e recebem treinamento da Au Pair Care antes de seguir viagem. Durante o workshop, as meninas aprendem como lidar com crianças, têm lições de comportamento, disciplina, segurança e até de primeiros socorros, além de uma aula sobre o ''american way of life''. No último dia de treinamento, cada au pair embarca para a sua cidade. Algumas, como Viviane Acioly, de 20 anos, têm a sorte de ficar com uma família da região de Nova York mesmo, que vai buscá-las no hotel. A expectativa é grande: será que a criança vai me abraçar? Como a host family me receberá? Mas quando pai, mãe e filhos passam pela porta do hotel, com flores e chocolates na mão, é uma choradeira só. ''As famílias também criam expectativas'', comenta Heloísa Chaves, diretora da Cultural Care, empresa especializada nos programas de au pair. ''Elas consideram a au pair um membro da família e também estão interessadas no intercâmbio cultural.'' No caso de Viviane, o encontro foi emocionante. ''Eles me tratam como filha'', conta. A jovem do Recife, que nunca havia saído do País, está cuidando de três crianças. ''Elas são ótimas e comportadas. Já as amo para sempre.'' A família de Gisele Prata até a levou num cassino chiquérrimo, em Atlanta, e deu nada menos do que US$ 100 para ela ''brincar'' no pôquer. Queria agradar, afinal, toda aquela louca rotina vai piorar: a host mother está grávida, e o bebê nasce no começo do inverno. Viagem feita a convite do STB PACOTES Confira programas de um ano (exceto quando mencionado) para au pairs, perfeitos para quem sonha em passar uns tempos no exterior e, claro, tem jeito com crianças: Na CI, o programa custa US$ 300 (inscrição até dia 30), inclui aéreo e orientação durante 3 dias em Nova York A Connection Line vende o programa de au pair na Holanda por US$ 300. Não inclui as passagens aéreas Na Cultural Care, quem se inscrever até 11 de julho paga R$ 700. Inclui aéreo e quatro dias de treinamento em Nova York A Experimento tem programa com passagem aérea e orientação de quatro dias nos Estados Unidos por US$ 500. A taxa de inscrição custa R$ 800 Na Intercâmbio & Cia, o programa de au pair na Austrália custa 1.550 dólares australianos e dura, no mínimo, 16 semanas. Inclui orientação de dois dias Na Intercultural, o programa custa R$ 570 até dia 30. Com aéreo. O programa da SIS custa R$ 800 e inclui aéreo e orientação em Nova York No STB, o programa custa R$ 750 e inclui aéreo e workshop de três dias em Nova York QUEM LEVA Empresas de intercâmbio: Accord (www.french-paris.com) Azurlingua (www.azurlingua.com) BEX (0--11-3044-5040; www.bex.tur.br) CI (0--11-3677-3600; www.ci.com.br) Connection Line (0--11-3285-6691; www.connectionline.com.br) Cultural Care (0800-707-9353; www.culturalcare.com) EF (0--11-2122-9000; www.ef.com.br) Experimento (0--11-3707-7122; www.experimento.org.br) Friends in the World (0--11-3068-9403; www.friendsintheworld.com.br) GTravel (0--11-2175-2948; www.gtravelonline.com.br) Intercâmbio & Cia (0--11-3729-5455; www.intercambioecia.com.br) Intercultural (0--11-5083-7616; www.intercultural.com.br) Kangaroo Tours (0--11-3066-0266; www.kangarootours.com.br) Pressto (0--11-3256-8288; www.pressto.com.br) SIP (0--11-3168-6658; www.siptravel.com.br) SIS (0--11-3062-6333; www.sis-intercambio.com.br) STB (0--11-3038-1555; www.stb.com.br)

Mais conteúdo sobre:
intercâmbio au pair

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.