Culinária digna de grandes acervos

Chef criativo e ambiente caprichado fazem de restaurantes de museus opção tão atraente quanto as coleções

Mônica Nóbrega, O Estado de S.Paulo

27 Janeiro 2009 | 01h31

. Enquanto o espírito se alimenta de beleza e informação, o estômago se esvazia. Museu, todo viajante sabe, dá fome. Tanto que a maioria conta com pelo menos um café (sempre lotado) em suas dependências. Em alguns dos melhores museus do mundo o visitante encontra gastronomia à altura das obras expostas. Chef criativo, carta de vinhos bem elaborada, ambiente caprichado e prêmios fazem de certos restaurantes de museu opções tão interessantes quanto o próprio acervo. Veja alguns para incluir na sua próxima viagem: The Modern, MOMA Com assinatura do chef Gabriel Kreuther, ex-Ritz-Carlton, o The Modern, no Museu de Arte Moderna (MoMA) de Nova York, tem uma estrela no Guia Michelin e três (em uma escala de até quatro) na lista do jornal The New York Times. Kreuther nasceu na região francesa da Alsácia e leva essa influência para as receitas franco-americanas servidas no lugar. O menu com três pratos custa US$ 58 (R$ 137) no almoço e US$ 88 (R$ 207) no jantar. À noite, há também menu degustação com sete pratos, por US$ 125 (R$ 294). Inspirado na escola alemã Bauhaus, o restaurante tem arquitetura e móveis com design modernista. O salão fica diante do jardim de esculturas. Tate Modern Em Londres, no sétimo andar da Tate Modern, o restaurante homônimo serve receitas inspiradas nas mesas espanhola e italiana criadas pelo chef Bruce Wilson (penne de abóbora e pinhões por 10,95 libras ou R$ 35). O Tate Modern Restaurant fica aberto do café da manhã ao jantar. No desjejum, opções bem tradicionais como croissant com manteiga e pain au chocolat (1,90 libra ou R$ 6,15 cada), acompanhados de chás. Para uma refeição leve no fim do dia, a ceia inclui um prato - massa ou grelhado - e sobremesa, por 16,50 libras ou R$ 53, das 18 horas às 19h30.       Receitas ítaloespanholas e vista deslumbrante de Londres a partir do sétimo andar Museu D'Orsay Decorado em ouro, vidro e cristal, o Restaurante do Museu D'Orsay é ideal para apreciadores do luxo clássico. Nem poderia ser de outra forma: o prédio inaugurado em 1900 como estação de trem é mesmo um dos mais elegantes de Paris. As receitas francesas tradicionais acrescidas de especiarias levam a assinatura de Yann Landureau. No almoço, prato principal e sobremesa custam 16,50 (R$ 50). Há uma opção para crianças por 7,60 (R$ 23). O jantar, servido apenas às quintas-feiras, dia em que o horário do museu também é estendido, custa 42 (R$ 127). Georges, Centro Pompidou O terraço ao ar livre, a vista panorâmica de Paris a partir do sexto andar e o design moderno das instalações, assinado por Dominique Jacob and Brendan McFarlane, fez o Georges, no Centro Pompidou, cair nas graças dos descolados e dos artistas da cidade. É impossível ficar indiferente à escultura metálica sinuosa que domina o espaço - de fato, um corredor de serviço. Há rumores de que o staff seja escolhido pela aparência, o que os uniformes bem cortados parecem não desmentir. Ah, claro, a comida é definida como fusion. O jantar para dois sai por cerca de 140 (R$ 424). Requinte do Rio A carta de vinhos é o principal destaque do Laguiole, restaurante do Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio. A adega tem entre 600 e 800 rótulos e conquistou, por oito vezes, o prêmio Best Wine Spectator, cujo objetivo é orientar viajantes sobre onde encontrar bons vinhos pelo mundo - e refeições à altura deles. O Laguiole foi inaugurado em 1997, no centro do Rio, e está há quatro anos no MAM. A cozinha deixou de lado a França tradicional para se tornar contemporânea e mais requintada. Há um ano e meio, o chef Pedro de Artagão, de 30 anos, assina o menu. "O esforço é para adequar a cozinha ao espaço moderno que ocupamos hoje." Ele destaca o nhoque salteado ("crocante por fora e macio por dentro") e o picadinho carioca. O Laguiole abre de segunda a sexta, do meio-dia às 17 horas. O almoço para duas pessoas sai por cerca de R$ 120, sem bebidas. Informações: (0--21) 2517-3129.   The Modern: www.themodernnyc.com; aberto das 12 às 14 horas e das 17h30 às 22h30 Tate Modern Restaurant: www.tate.org.uk/modern/eatanddrink; aberto das 11h30 às 15 horas e das 18 horas às 21h30   Restaurante do Museu D'Orsay: www.musee-orsay.fr; aberto das 11h45 às 14h30 e das 15h30 às 17h30. Às quintas-feiras, jantardas 19 horas às 21h30 Georges Restaurant: www.centrepompidou.fr; aberto do meio-dia às 2 horas

Mais conteúdo sobre:
museus restaurantes gastronomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.