Cultura, fé e um fenômeno celeste

Cultura, viagens de trem, praias desertas e trilhas são algumas das opções de turismo no Paraná

O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2010 | 01h21

Istambul

Às margens do Rio Ruhr, Essen conta com o diferencial da organização alemã - o calendário inclui mais de 2.500 eventos. Pécs, na Hungria, foi lar de celtas, tem incrível cidadela medieval e passou pelo domínio otomano, que deixou ali mesquitas e minaretes. Mas como se destacar quando o título de Capital Europeia da Cultura de 2010 será dividido com Istambul?

Partida entre Europa e Ásia, a maior cidade da Turquia (desde 1923, a capital é Ancara) nos últimos anos virou vedete turística, com número de visitantes crescendo a uma média de 20% ao ano.

O evento

Istambul será uma das Capitais da Cultura antes mesmo de o país estar oficialmente na Comunidade Europeia, algo previsto para 2014. E parece pronta para lucrar com a visibilidade trazida pelo título. Enquanto você estiver lendo esta reportagem a festa em Istambul terá começado - a abertura oficial será no dia 16, mas o calendário de comemorações já vale desde a virada do ano.

Ao longo de 2010, a cidade será palco de exposições, shows, palestras, lançamentos de livros, mostras de cinema e tudo o que uma capital da cultura merece. (A tempo: Essen inicia sua festa em 9 de janeiro e Pécs, no dia 10.) Informações: www.en.istanbul2010.org.

O que fazer

A cidade que uma vez se chamou Constantinopla viu ressurgirem seu passado e seus monumentos. A exemplo da impressionante Santa Sofia, erguida no século 6º para ser uma síntese do paraíso e maquiada para virar mesquita depois da chegada dos otomanos. Ganhou minaretes e teve os mosaicos católicos banhados de cal. E só agora esses desenhos de caquinhos começam a ser restaurados.

O local foi transformado em um museu que sintetiza muito do passado da cidade. A partir dali você cruza a praça até a Mesquita Azul, a mãe de todas. Construída em 1069, tem seis minaretes em honra de Alá e comanda as cinco orações diárias.

Dali, a sequência coerente é cruzar a rua à direita e entrar no Palácio Topkapi, a casa dos sultões, surgido no século 15. O lugar guarda tesouros inimagináveis, de tronos a berços de ouro maciço - e será palco de eventos culturais durante o ano. O coração do complexo é o harém onde chegaram a viver mais de mil mulheres (a visita exige pagamento à parte).

E corra para fazer um dos principais programas de Istambul desde a época de Constantinopla: o Grande Bazar, um louco emaranhado com mais de 4 mil lojas. Nesse labirinto a pechincha é quase uma exigência.

Como ir

Desde o começo de 2009, brasileiros contam com um voo direto entre São Paulo e Istambul. Da Turkish Airlines (www.turkishairlines.com), custa a partir de R$ 4.632,77, ida e volta, valor para janeiro.

Ilha de Páscoa

Os moais são a marca registrada da Ilha de Páscoa, uma terra isolada no meio do Oceano Pacífico, a cerca de 4 mil quilômetros de Santiago, no Chile, e também de Papeete, na Tailândia. O mistério em torno de como foram erguidas as imensas estátuas de pedra vulcânica que chegam a medir 21 metros de altura e pesar 300 toneladas atrai todos os tipos de turistas: aventureiros, místicos e até quem quer apenas ter contato com a rica cultura Rapa Nui (como são denominados a ilha e o povo nativo).

O evento

Em 11 de julho, o eclipse total do sol promete atrair milhares de pessoas ávidas por uma oportunidade única: fotografar os moais com o sol encoberto. O problema é comportar tanta gente na ilha, que tem a metade do tamanho de Ilhabela, no litoral paulista, e hotéis pequenos.

O que fazer

Em torno do fenômeno natural, uma série de eventos estão prometidos. O principal deles é o Honu Eclipse 2010 (www.honueclipse.org), um superfestival de música eletrônica com ingressos a US$ 500. Para abrigar os baladeiros, será organizado um grande camping.

Como ir

Está difícil conseguir voos para o começo de julho, mas você pode tentar a lista de espera. Há pacotes desde US$ 1.903 na Venturas & Aventuras (0--11- 3872-0362) e de US$ 1.772 na CiaEco (0--11-5571-2525). Os voos são operados pela Lan (0800-761-0056) e custam desde R$ 2.086, com saída de São Paulo e conexão em Santiago.

Santiago de Compostela

O termo sagrado, tão usado em referência a Santiago de Compostela, a capital da Galícia, será ainda mais adequado como definição em 2010. Um dos principais destinos mundiais de peregrinação católica viverá novamente, depois de cinco anos, um Ano Santo, também conhecido como Jubileu Apostólico. Por definição papal, em anos assim, fiéis que visitam a catedral da cidade espanhola obtêm perdão para todos os pecados. Tentador, não?

O evento

O Ano Santo ocorre quando o dia consagrado ao apóstolo Santiago, 25 de julho, cai em um domingo. Tradição que teve início em 1922, quando o papa Calixto II concedeu à Catedral de Santiago de Compostela o privilégio do perdão dos pecados.

Para sair de lá com a alma purificada é preciso rezar uma oração, se confessar e comungar durante uma celebração eucarística. Há confessionários em diferentes idiomas distribuídos pela igreja.

Além de fé, a ida à cidade espanhola em 2010 exigirá jogo de cintura para conviver com o intenso movimento turístico. São aguardados 8 milhões de visitantes durante o ano, dos quais pelo menos 250 mil devem fazer o percurso completo, com direito a peregrinação pelo famoso Caminho de Santiago.

O que fazer

A indispensável visita à catedral só fica completa depois de uma caminhada pelo telhado, para apreciar a vista lá de cima. É preciso fazer reserva: www.santiagoreservas.com.

Nos intervalos da programação religiosa, é na cidade velha que os turistas se divertem. Restaurantes especializados em frutos do mar servem a variada gastronomia da Galícia. Bares e baladas recebem levas de estudantes - aproximadamente um terço da população é formada por universitários - e, é claro, de visitantes dispostos a aproveitar a noite.

Para alegria de todos, as atrações ficam bem perto umas das outras e a grande pedida é se deslocar a pé. Até para não deixar passar nenhum lance do movimento das ruas, que já é parte da festa. Só não vale perder o bom humor se for pego por uma chuva no caminho. Os pés d"água da cidade são famosos.

Como ir

O peregrino que se preze (ou o viajante não tão fervoroso, mas dono de espírito aventureiro a toda prova) percorre o caminho até Santiago a pé. Há cinco opções de trajeto. O mais tradicional começa nos Pireneus, na França, e tem 800 quilômetros de extensão. Muitos optam por ir de bike ou a cavalo. Na falta de preparo físico, vá direto para lá: o voo São Paulo- Santiago de Compostela-São Paulo custa a partir de R$ 2.299 na Iberia (www.iberia.com) e R$ 3.404 na Lufthansa (www.lufthansa.com).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.