Adriana Moreira|Estadão
Adriana Moreira|Estadão

Da capela à escolha do traje, um miniguia para casar em Las Vegas

Dizer 'sim' na cidade pode não ser tão simples quanto Hollywood sugere, mas é de fato menos burocrático - e muito divertido (principalmente se Elvis estiver envolvido). Veja as dicas

Adriana Moreira, Las Vegas

07 Junho 2016 | 02h55

Elvis Presley está no altar – ele é o mestre de cerimônias. Ansioso, o Homem de Ferro aguarda a noiva. A porta se abre e ela entra, com um vestido branco curto e elegante, véu, buquê e sapatos vermelhos. Os convidados dançam, e Elvis se divide entre realizar a celebração, posar para fotos e cantar as músicas escolhidas pelo casal. Tudo dura cerca de 10 minutos, e termina com noivos e convidados para lá de animados, prontos para cair na noite de Las Vegas.

A cena poderia ter saído de um roteiro hollywoodiano, mas foi exatamente assim que Tatiana Akemine, de 35 anos, e Renato Medina, de 36 (o Homem de Ferro), celebraram a união, em junho do ano passado. Os dois viviam juntos há pouco mais de dois anos e decidiram que, em vez de gastar com uma cerimônia tradicional no Brasil, eles se casariam em Vegas, em ritmo de lua de mel. “No fim, alguns amigos conseguiram vir e foi muito divertido”, conta Tatiana.

Mas qual é o processo até que Elvis os declare marido e mulher?

Casar em Las Vegas não é algo tão imediato quanto sugerem os filmes. Burocracias como exame de sangue e proclamas são dispensáveis e a licença de casamento sai no mesmo dia, num processo ágil (confira os documentos necessários, em inglês, aqui; para validar os papéis no Brasil, clique aqui). Só não vale ter menos de 18 anos, estar casado com outra pessoa ou ser parente próximo – como primos. 

No entanto, a maior parte das capelas pede ao menos um dia para organizar papéis, decoração e a disponibilidade do mestre de cerimônias – que pode ou não ser Elvis. Mesmo as drive-thru, que sugerem rapidez, trabalham com reservas. Vale dizer também que se você quiser uma cerimônia mais séria e formal, há capelas e pacotes elegantes.

Acompanhamos Tatiana e Renato em todo o processo em Vegas, da escolha da capela ao aluguel de roupas. E reunimos dicas para quem quiser fazer uma cerimônia na cidade onde, na vida real, casaram Elvis e Priscila Presley, Jon Bon Jovi e Dorothea, Richard Gere e Cindy Crawford, entre outras celebridades. Confira:

CAPELAS

São cerca de 50 na cidade, com pacotes, tamanhos e estilos variados. Alguns cassinos têm as suas, como Wynn, Caesars Palace, Aria, MGM Grand e Venetian. E como em Vegas tudo é possível, dá até para casar na réplica da Torre Eiffel no hotel Paris. Fora dos cassinos, a maior parte das capelas se concentra na Las Vegas Boulevard, entre Downtown e a Strip (confira a lista aqui). 

Os pacotes mais simples começam em US$ 100, mas se você quiser limusine, Elvis e fotos, vai desembolsar mais. Em tese, as capelas oferecem mais ou menos os mesmos serviços (boa parte transmite a cerimônia ao vivo pela internet). O que muda é o tamanho do salão, o tipo da capela e a cerimônia – dá para casar, de fato, ou só renovar os votos, uma opção mais barata e menos burocrática. Limusine e fotógrafo costumam estar incluídos, mas a gorjeta é à parte.

Tatiana e Renato visitaram outras duas antes de decidir pela Graceland Wedding Chapel, pequena e com formato de capelinha de cidade do interior. Ali, o Elvis que ministra a cerimônia (caso os noivos desejem, é bom lembrar) não é apenas sósia do rei, mas o dono do negócio.

Não é garantido que Brendan Paul seja o seu Elvis, mas torça por isso. O dono da capela realmente se parece com o Rei do Rock (ao contrário de muitos Elvis de Vegas), canta sem playback e faz todo mundo dançar. O pacote escolhido pelos brasileiros, o Can’t Help Falling in Love (US$ 429), dava direito a três canções, definidas previamente, além de buquê para a noiva, limusine ida e volta do hotel e fotos.

Para quem não é tão fã de Elvis, a Viva Las Vegas tem outras opções, com temas inusitados como zumbis, James Bond, Egito e Alice Cooper. Quer casar no letreiro de Vegas ou no seu quarto de hotel? O Las Vegas Wedding Wagon vai até os noivos por a partir de US$ 129.

TRAJES

Embora muitos noivos tragam do Brasil a roupa para a cerimônia, pode ser que você seja contagiado pelo ambiente de Vegas e procure algo um pouco diferente. Renato, por exemplo, achou que seria divertido (como discordar?) se casar vestido de Homem de Ferro. Encontrou o que procurava na American Costumes, uma loja apertada, mas com grande variedade de fantasias, femininas e masculinas. Toque a campainha e espere: o atendimento é personalizado.

Para conseguir ser super-herói por um dia, Renato pagou US$ 100 pelo aluguel e deixou US$ 300 de caução. Ele poderia ainda ter escolhido ser um cavaleiro medieval, um stormtrooper de Star Wars ou o próprio Elvis – há mais de 3 mil fantasias disponíveis. 

Se ele estivesse em busca de algo mais convencional, a Tuxedo Junction aluga o traje completo a partir de US$ 120 e tem várias cores disponíveis, para agradar a noivos de todos os estilos. Quando Tatiana e suas amigas apareceram por lá por engano, a dona, Mikka Moon, ofereceu gentilmente uma lista de lojas de vestidos de noiva e uma carona – sem saber da reportagem. 

Tatiana havia trazido um vestido, mas teve dúvidas se queria usá-lo. Para ter certeza, visitamos lojas mais tradicionais, como a Tux One, com unidades para os públicos masculino e feminino lado a lado. Na gigantesca David’s Bridal, vestidos, arranjos e véus estão disponíveis para compra – e há ofertas em criações de estilistas como Vera Wang e Jenny Packham. Não visitamos, mas a Celebrations Bridal e a Bridal Elegant têm boas críticas. Para alugar, há também a Renta-Dress and Tux

Por fim, Tatiana ficou com o vestido brasileiro, mas a experiência nos rendeu algumas lições. Carro é essencial para procurar as lojas, bem distantes umas das outras – conseguir um táxi é complicado, mas o Uber chegou há poucos meses e aumentou as opções de transporte na cidade. Além disso, lojas só atendem com hora marcada; certifique-se antes de ir.

Mais conteúdo sobre:
Estados Unidos Las Vegas Nevada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.