Felipe Mortara|Estadão
Felipe Mortara|Estadão

De carro na Toscana

Dicas e bate-voltas para explorar a região da Toscana, na Itália

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

14 Junho 2016 | 02h49

VIAJE NA PERGUNTA

Somos um casal jovem de 65/60 anos, com muita disposição. Estamos pensando em ficar uma semana em Florença e outra semana em outro ponto da Toscana. Queremos fazer bate-voltas de carro. Ou o trem seria uma boa opção? (Roberto, São Paulo)  

Dividir a estada entre Florença e outro ponto da Toscana sempre dá certo. Mas não vale a pena alugar carro enquanto estiverem em Florença. Conseguir hotel com estacionamento no centro histórico é difícil; entrar e sair da cidade toma tempo; e vocês ainda correm o risco de tomar multas em zonas de tráfego limitado. Mas não há razão para desanimar: Florença oferece muitas oportunidades de bate-voltas de trem. Num dia, saiam cedo a Pisa (1h10 até a estação San Rossore), visitem a Torre (se quiserem subir, reservem em opapisa.it) e continuem a Lucca (mais 20 minutos). Em outros dias vocês podem passear na Cortona de Frances Mayes (1h20), em Arezzo (1h) ou mesmo Bolonha (40 minutos). 

Escolham a segunda base no sul da Toscana – pode ser nos arredores de Siena ou numa das cidadezinhas do Val d’Orcia (como Pienza ou Montalcino). Peguem o carro alugado ao sair de Florença; no caminho, passem por Volterra, San Gimignano e Monteriggioni. Dediquem os dias seguintes a Siena, ao Chianti (percorram a estrada Chiantigiana) e ao Val d’Orcia, que é o pedacinho mais encantador da Toscana. O ideal é se perder pelas estradinhas e só ligar o GPS na hora de voltar. Dá também para tirar um dia e dar um pulinho em Assis, já na Úmbria.

Tenho o sonho de conhecer a Toscana, mas muita insegurança em alugar carro, porque nem eu nem meu marido falamos italiano. Nosso filho esteve lá recentemente e descobriu cidadezinhas encantadoras, como Penna. Temos 10 dias. Qual seria a melhor época? Que dicas você pode dar? (Cicida, São Paulo)

Um carro na Toscana torna possível exatamente isso: descobrir vilarejos dos quais você nunca ouviu falar – como este, na província de Arezzo. Os melhores meses para viajar pela região são maio, junho, setembro e outubro (setembro costuma ter preços mais camaradas e tempo firme). Não tenha medo de “dirigir em italiano”. As placas são universais e, comprando um chip (simcard) local, vocês vão ter GPS narrado em português no celular. Fiquem três dias em Florença e aluguem o carro para uma semana de explorações toscanas. O hotel Laticastelli, entre Siena e o Val d’Orcia, tem donos e funcionários argentinos que estão acostumados a orientar hóspedes brasileiros com carro.

Mais conteúdo sobre:
Ricardo Freire Itália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.