Divulgação
Divulgação

De região de abatedouros a point fashion

No Meatpacking District, lojas, baladas e bares disputados

Natália Zonta, O Estado de S.Paulo

14 Abril 2009 | 02h40

>

preço do quilo da vitela estampado nos paredões evidencia o passado do Meatpacking District. O bairro mais concorrido de Nova York, endereço de grifes como Alexander McQueen e Stella McCartney, quem diria, já foi uma área exclusiva de nada glamourosos açougues e abatedouros.

Mas nem a história pouco nobre compromete a atual fama do bairro às margens do Rio Hudson. Afinal, desde o início dos anos 1990, artistas e designers se incumbiram de levar sua aura fashion para o local. A partir daí, os antigos frigoríficos abandonaram de vez o trecho e as ruas viraram point (e, recentemente, endereço de Samantha Jones, a mais atrevida personagem do quarteto de Sex and The City).

 

Veja também:

linkO autêntico lado vintage da metrópole

linkVolta ao passado em shows clássicos

linkNoite moderninha ao som de hits dos anos 1980

linkCardápio atual e clima retrô

linkSiga a rota dos brechós imperdíveis

linkDiscos, pôsteres e livros também estão na lista de compras

linkVitrines exibem o 'antiguinho fake'

Hoje, o Meatpacking concentra nada menos que 68 lojas e 72 bares, restaurantes e baladas. Para começar a desbravar o bairro, conheça o restaurante Pastis. O galpão de esquina tem tijolos claros na fachada e decoração francesa. Pare por ali na hora do brunch e acompanhe o agito matinal.

Ir a Nova York e não se render aos sabores asiáticos é uma heresia. Para fazer isso com estilo - longe das dellis de Chinatown -, siga para o Spice Market, do chef Jean-Georges Vongerichten. O ambiente é lindíssimo, decorado como um bangalô. As mesas para grupos são sensacionais: ficam numa espécie de cabana reservada.

No cardápio, um mix das culinárias vietnamita, tailandesa e chinesa. Quase tudo leva bastante pimenta e as travessas são organizadas de forma que a refeição possa ser compartilhada. Uma sugestão é pato ao curry, por US$ 19 (R$ 41). Para beber, escolha a margarita de gengibre (US$ 14 ou R$ 30).

O jantar pode ser apenas o início da noite no Meatpacking. Baladas mil lotam todas os dias. O único inconveniente é que, muitas vezes, você precisa ser escolhido para a festa. Um desses locais é o Soho House, hotel com um clube exclusivo. Vista sua melhor roupa e tente a sorte com o segurança.

Está sem vontade de fazer carão para entrar na balada? Ok, no mesmo bairro está o Hogs & Heifers, ideal para machões e mulheres que querem extravasar. O teto do bar foi todo decorado com sutiãs - há peças de Drew Barrymore, Gweneth Paltrow e Julia Roberts. Entre um shot e outro, os mais empolgados sobem no balcão para dançar. Um ambiente que caiu nas graças de grupos de motoqueiros.

O clima do bairro também favorece as compras. As ruas não ficam tão cheias e convidam a caminhadas. Os nomes nas vitrines são variados. O brasileiro Carlos Miele, por exemplo, tem um espaço perto da loja de Diane von Fursrenberg, a mãe do vestido envelope. A loja da Apple, a maior da marca na cidade, é outra atração. São três andares cobertos de parafernálias tecnológicas.

linkHogs & Heifers: 859 Washington St. com a W 13th St.; www.hogsandheifers.com

linkPastis: 9th Avenue; www.pastisny.com

linkSpice Market: 403 W 13th St.; www.spicemarketnewyork.com  

linkSoho House: 29-35 9th Av.; www.sohohouseny.com  

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.