Ricardo Freire/AE
Ricardo Freire/AE

De Roma a Pompeia e Nápoles

Para quem tem um dia sobrando em Roma, fazer um bate-volta até Pompeia é tentador. E tudo fica ainda mais redondo - em todos os sentidos - com uma passadinha por Nápoles. É um passeio exaustivo, mas recompensador. Vem comigo:

Ricardo Freire, O Estado de S.Paulo

23 Junho 2009 | 02h18

TREM A NÁPOLES

Para dar conta do programa inteiro, pegue um trem que saia na faixa das 7 da manhã. O mais rápido é o novíssimo ES AV (EuroStar Alta Velocità), que faz o percurso em 80 minutos e custa ? 36 por trecho (na tarifa Promo 15). O velho IC (InterCity) leva duas horas e custa ? 14,80 por trecho (na tarifa Amica). Compre no site trenitalia.com.

BALDEAÇÃO

Ao desembarcar na Estação Central de Nápoles, siga as setas para a ferrovia regional Circumvesuviana. Compre no guichê um biglietto giornaliero U3, que custa ? 4,60 e dá direito a ir e voltar de Pompeia e ainda usar o transporte coletivo em Nápoles até o fim do dia. Prepare-se para o downgrade: os trens nesta linha estão bem detonados.

SALTE NA PORTA

Existem quatro estações chamadas "Pompei". Para descer direto na certa, pegue o trem na direção a Sorrento e salte em Pompei Scavi - Villa dei Misteri (scavi quer dizer escavações). Há dois trens por hora e o percurso é feito em 35 minutos. Consulte os horários em www.vesuviana.it.

NAS RUÍNAS

Pompeia abre todos os dias (exceto no Natal, 1º. de janeiro e 1º. de maio); a visita custa ?11. Na entrada, arme-se de folhetos explicativos (grátis) ou alugue um audioguia em espanhol (? 6,50). Deixe bolsas pesadas no guarda-volumes, mas carregue água (no verão, você vai ter inveja das sombrinhas levadas pelos orientais). As ruínas são bastante espalhadas; você vai levar umas três horas para ver o essencial. Não deixe de incluir no seu roteiro a Casa do Fauno, a Casa dos Vetii, as Termas do Fórum, os Teatros e a Vila dos Mistérios. Há um bandejão razoável perto das Termas.

EM NÁPOLES

De volta à estação de Nápoles, procure a plataforma da linha 2 do metrô (Metropolitana FS); o seu biglietto giornaliero também vale ali. Salte uma estação adiante, Piazza Cavour. Procure o túnel subterrâneo que leva à estação Museo, de onde você emerge direto no Museu Arqueológico.

NO MUSEU

A visita ao Museu Arqueológico Nacional não é fortuita: ali estão abrigados os mosaicos, afrescos e esculturas originais retirados de Pompeia e Herculanum, complementando o que você viu pela manhã. Para ir direto a eles, suba a escadaria e vire à esquerda no primeiro andar. Ao fundo, não perca o Gabinete Secreto, uma sala proibida para menores onde estão expostas as obras de arte erótica que deram a fama de devassa a Pompeia. Se sobrar tempo, procure a ala dos mármores, no térreo, que abriga peças da Coleção Farnese. O museu fecha às terças; a entrada custa ? 6,50.

VARAIS

Você não vai ter tempo para ver a baía de Nápoles do alto, mas vai poder caminhar pelas ruelas pitorescas da Nápoles antiga - com a carteira num lugar protegido e a mochila bem segura, claro. Desça a Via Duomo, vire à esquerda na Via dei Tribunali e depois à direita no Vicolo della Pace. Pouco antes do Corso Umberto I você chega à última parada do dia: a mitológica pizzaria Da Michele (damichele.net), que abre a tarde inteira (mas fecha aos domingos). Só há duas coberturas: margherita e marinara (tomate e alho). Ambas são crocantes nas bordas e elásticas no centro.

A VOLTA

Marque o trem de retorno a Roma para depois das 19 horas. Da pizzaria à estação são 15 minutos de caminhada pelo Corso Umberto I. Não se espante se o seu trem estiver (bastante) atrasado: você está no sul da Itália, não na Suíça alemã...

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.