De romanos a pescadores

É uma decisão difícil. Rovinj e Pula, a 40 minutos uma da outra, competem por turistas na Ístria, a região noroeste croata. Rovinj tem um excêntrico pedaço de terra circundado por edifícios coloridos que avança pelo mar. Pula tem legado romano, incluindo um anfiteatro de 2 mil anos - que abriga a abertura do festival Outlook, este ano, em 3 de setembro, com show de Lauryn Hill.

PULA, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2014 | 02h06

Escolhi a segunda por causa do tempo limitado, apenas uma semana, e por ter muitos lugares à espera na Dalmácia.

Como os romanos, James Joyce viveu em Pula. Não é uma referência muito emocionante de morador litorâneo, é verdade, mas ele deu aulas de inglês entre 1904 e 1905 no prédio ao lado do Arco Triunfal de Augusto. Na mesa externa de um bar, um Joyce-estátua sentado contempla o arco.

É ali a entrada leste da Pula Antiga. A caminhada até o anfiteatro tem menos de 1 quilômetro. No caminho fica uma concentração de lojas; o Fórum de Augusto, diante da praça com o maior jantar a céu aberto da cidade; e as muitas casas encarquilhadas da Rua Kandierova, que merecem uma reforma.

Uma das melhores praias de Pula é Verudela, dentro do Resort Park Plaza. É uma minipraia de menos de 100 passos com água primeiro transparente, depois fracamente azul-turquesa, até ganhar tons marinhos e ocultar as grandes pedras claras do fundo. Linda como prometem os nativos, apesar da anticlimática faixa de pedras no lugar da faixa de areia.

Para se hospedar, além do Park Plaza, outra boa opção é o vizinho Ribarska Koliba (ribarskakoliba.com), com varandas e piscina à beira de uma marina.

Península. Dez minutos ao sul de Pula, o Parque Nacional Kamenjak tem 30 quilômetros de uma linda península reclusa, ideal para pedalar, praticar windsurfe e mergulhar nas águas claras das praias e enseadas.

A 95 quilômetros dali, uma saída da autoestrada leva em poucos minutos a Volosko, uma vila de pescadores que promete uma das melhores paradas de todo o litoral. Volosko é cada vez mais conhecida pela gastronomia. Em 2008, o restaurante Plavi Podrum (plavipodrum.com) foi o único croata a figurar entre os 50 melhores do mundo no guia da revista britânica Restaurant. E olha que só reparei na placa com esta informação depois de ter provado e aprovado o polvo com geleia de ameixa e emulsão de mel, cebolinha, azeite de oliva e suco de laranja.

Volosko e sua vizinha Opatija eram balneários da elite vienense durante o Império Austro-húngaro. A princesa Maria Anna de Savoy era habitué. Estrangeiros como Puccini, Nabokov, Gustav Mahler, Isadora Duncan e Tchekhov passaram por lá entre os anos 1850 e a 1.ª Guerra Mundial. Tchekhov ambientou seu conto Ariadne em Opatija. James Joyce, aproveitando a estadia em Pula, também apareceu. / T.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.