De trem até a casa do bom velhinho

Vagões levam ao lar de Papai Noel na montanha Les Rochers-de-Naye, com direito a vista panorâmica

Bruna Tiussu, O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2009 | 02h14

Papai Noel com certeza fez de propósito. Escolheu uma montanha de 2 mil metros de altitude, coberta de neve, para instalar o seu refúgio suíço só para dar às crianças que o visitam o gostinho de fazer uma encantadora viagem panorâmica de trem para subir até lá.

 

PAISAGEM - Dos janelões de vidro, visitantes têm 1 hora para observar a neve cobrir o verde do gramado 

O endereço suíço do bom velhinho é a Montanha Les Rochers-de-Naye, perto da fronteira com a França. E o tour natalino sobre trilhos até lá leva uma hora a partir de Montreux, feito no Golden Pass Line.

A composição tem vagões com janelas maiores que as convencionais. Assim, fica fácil observar o cristalino Lago Genebra diante dos Alpes. A neve branquinha que cai e faz desaparecer o verde do gramado. As vacas com sinos no pescoço, como nas ilustrações de livros infantis. Cenários que você pode ver também nos oito lugares especiais no primeiro vagão. Além dos vidros laterais, há outros dois dianteiros.

Na cobiçada residência, os visitantes mirins recebem toda atenção do bom velhinho e de suas assistentes. Ouvem histórias, ganham pinturas no rosto e os esperados presentes.

ANIMAIS E NEVE

Na chegada a Les Rochers-de-Naye, se as crianças não correrem imediatamente para o colo do Papai Noel, certamente terão encontrado primeiro o cercado onde fica a rena.

Outro animal atrai turistas à montanha: a marmota, mais fácil de ser observada no verão, porque hiberna debaixo da terra durante o inverno. A não ser que você faça amizade com Paulo, o guia português. Responsável pela criação de seis espécies, ele leva turistas às casas dos animais e até ajuda a pegar alguns no colo, caso esteja com tempo disponível.

A ausência das marmotas é compensada por outros atrativos da temporada de inverno. Leve equipamentos esportivos e curta as descidas consideradas de nível fácil na estação de esqui. Ou sapatos de neve para curtir um trekking diferente.

Há viagens a cada uma hora no trem Golden Pass Line, nos dois sentidos. Se decidir dormir na montanha, reserve uma iurta, tenda inspirada nas casas dos habitantes nômades da Mongólia. Ou um quarto no hotel que existe há mais de um século - quartos e banheiros são compartilhados. Há, ainda, dois restaurantes no alto de Les Rochers-de-Naye.

Golden Pass Line: o tíquete de ida e volta custa 20 (R$ 51), goldenpass.ch; raileurope.com.br

Hospedagem: pacote com tíquetes de trem (ida e volta), uma noite e café custa 47 euros (R$ 121) por pessoa nas iurtas e 64 euros (R$ 166) no hotel; www.swiss-riviera.com/naye

QUEIJO E CHOCOLATE

No verão, de maio a outubro, outro trem faz sucesso na Suíça: o Train du Chocolat, com decoração do começo do século 20. Os turistas veem o processo de produção do Gruyère, na cidade homônima, e, depois, seguem para um tour na fábrica de chocolates Nestlé-Cailler, em Broc. O passeio (com degustações) custa 58 euros(R$ 150), na raileurope.com.br. Saídas a partir de Montreux.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.