Dentro de uma pintura chinesa, nas trilhas de Huangshan

Montanha é patrimônio da humanidade e tem paisagens que serviram de inspiração para artistas e poetas

Paula Moura, de O Estado de S.Paulo,

17 Novembro 2009 | 02h54

Picos rochosos surgem de um mar de nuvens, enfeitados por pinheiros orientais

 

HUANGSHAN - Os cartões-postais tradicionais da China são famosos. Quem nunca ouviu falar na gigantesca Muralha, na Cidade Proibida ou nos Guerreiros de Xian? Mas os que têm disposição para caminhadas e vontade de conhecer um lado diferente do país podem se aventurar por áreas menos conhecidas, como a Huangshan ou montanha amarela, em chinês. Situada na cidade de mesmo nome na província de Anhui, Huangshan está a 1.533 quilômetros da capital e a 672 quilômetros da cosmopolita Xangai. O que, em se tratando da China, nem é uma distância tão grande assim.

Basta chegar lá para entender por que a montanha é tão famosa no país. Patrimônio da Unesco, o local soma uma paisagem estonteante, que faz qualquer um se sentir dentro de uma pintura clássica chinesa, ao desafio de uma escalada de centenas de degraus. Além disso, está próxima das antigas vilas da província de Anhui e da cidade dos jardins tradicionais mais lindos do país, Hangzhou.

Antes de dar início à escalada, os viajantes costumam dormir uma noite na cidade de Huangshan, também chamada de Tunxi. Aproveite para circular pela Tunxi Old Street, entre lojinhas e restaurantes.

Iguarias

Por ali, é possível se arriscar em opções gastronômicas nada convencionais, como o tofu preparado nos moldes de um queijo gorgonzola. Pense bem: o prato tradicional da culinária Huizhou não exala um aroma convidativo. Se preferir algo mais seguro, fique com os deliciosos vegetais das montanhas.

Um dos bons restaurantes para provar a culinária típica é o Lao jie di yi Lou, querido entre os chineses. Deixa os alimentos à mostra para os clientes escolherem e cobra o equivalente a R$ 15 por pessoa. Logo em frente, uma opção de hospedagem modesta, mas relativamente confortável: o albergue Huangshan Old Street, que cobra entre 40 e 80 yuan - R$ 10 a R$ 20 por cama.

Você, provavelmente, voltará cedo a seu hotel. Afinal, será preciso madrugar para iniciar a caminhada. Micro-ônibus e táxis levam os turistas às duas entradas do parque - leste e oeste. Pegue apenas o necessário: água, dinheiro para pagar a entrada de 230 yuan (R$ 58) e protetor solar, entre outros (leia mais no quadro ao lado).

Os bondinhos localizados em ambas as entradas ajudam, por 80 yuan (R$ 20), a economizar fôlego para os dois dias de caminhada que se seguirão. Dispense a mordomia se tiver ritmo de atleta ou preferir desafio, menos turistas e um ângulo privilegiado tanto do pôr do sol quanto da aurora.

Lendas

É hora de começar a aventura. E já nos primeiros passos você descobre por que pintores e poetas chineses se inspiraram em Huangshan em suas obras: os picos rochosos surgem de um mar de nuvens, enfeitados por pinheiros orientais.

O trajeto é povoado por lendas. Um pinheiro que nasceu grudado em outro atrai os casais por acreditarem na boa sorte no casamento. E ainda há a pedra em forma de macaco, o Pico de Lótus, o Pico da Capital Celestial, o Mar Paradisíaco... Quanto mais se avança na trilha, maior a admiração pelos trabalhadores que construíram os degraus e por quem, ainda hoje, mantém a montanha abastecida transportando a carga nas costas.

Programe-se para estar no Topo Brilhante a tempo de ver o pôr do sol - não à toa, o local fica lotado nesse horário. Aproveite para pernoitar em um dos hotéis com atendimento em inglês, como o Beihai Huangshan ou o Huangshan Shilin.

Vale a pena admirar o nascer do sol dali mesmo e, depois, seguir para mais um dia de caminhadas. Este, repleto de subidas e descidas íngremes. A rota que desce pelo vale norte dá a chance de conhecer o ponto mais alto da montanha, com 1.806 metros de altitude: o pico de Lótus, que tem a forma da flor símbolo do budismo.

Se o cansaço bater, vale pegar o tal bondinho também na volta. Mas quem vai a pé ganha como recompensa uma imensidão verde e algumas cachoeiras. E ainda poderá relaxar nas termas (cerca de 180 yuan ou R$ 45 por pessoa).

Ao pé da montanha, é possível parar em um posto do correio e enviar um cartão-postal direto de Huangshan. Daqueles que trazem uma paisagem bem diferente das esperadas quando o assunto é China.

Antes de ir escolha a estação

Primavera (março a junho): A mais propícia para admirar flores e cachoeiras

Verão (junho a setembro): Prepare-se para o intenso calor. Julho e agosto são meses de pico e é necessário reservar com antecedência. Leve capa de chuva

Outono (setembro a dezembro): Na paisagem, predomina o contraste do céu azul com as folhas avermelhadas das árvores. Setembro e outubro também são meses de pico. As temperaturas caem: leve roupas quentes

Inverno (dezembro a março): Para ver as montanhas cheias de neve. Preços de acomodação caem de 15% a 40%. Calçados antiderrapantes são necessários, mas hotéis têm aquecedores

Dicas

Tenha em mãos mapas da montanha em inglês e mandarim - há lugares com indicações apenas na língua local

Peça para o recepcionista do hotel escrever num papel os nomes dos lugares onde quer ir. A maioria dos taxistas e pedestres não consegue ler em caracteres romanos

Antes de sair, informe-se sobre a previsão do tempo e os horário do nascer do sol

Se estiver sozinho, procure escalar com pessoas de outros grupos. Os chineses são muito receptivos

Faça como os chineses: pechinche sempre, até no preço do hotel tradicional (os albergues são exceção)

O que levar

Luva de pano: você vai precisar dessa proteção, pois, muitas vezes, uma corrente será seu apoio em subidas ou descidas com 90 graus de inclinação.

Alimentos: leve o suficiente para um dia. Quanto mais subir a montanha, mais os preços vão às alturas. Água, pão, batata e chocolate são essenciais. Macarrões instantâneos viram uma boa pedida - os hotéis sempre têm água quente

Outros: protetor solar, roupas quentes, boné, lenços de papel e lenços umedecidos são sempre úteis

Serviço

Como chegar: há uma ampla rede de transportes para Huangshan. O aeroporto local conecta-se com 21 cidades, incluindo Pequim, Xangai e Hong Kong. Há, ainda, diversas linhas de trem - bastante confortáveis e até linhas de ônibus que partem de Xangai

Albergue Huangshan Old Street: Tel.: (00--86) 559-254-0388, com atendimento em inglês. Leva a excursões pela montanha

Hotel Beihai Huangshan: desde 900 yuan (R$ 227) para 2 pessoas. Tel.: (00--86) 559-558-2555

Hotel Huangshan Shilin: desde 300 yuan (R$ 75) para 2 pessoas. Tel.: (00--86) 559-558-4040

Hotel Xingang, em Tangkou (perto da montanha): desde 180 yuan (R$ 45) o casal. Tel.: (00--86) 559-556-2666

Mais conteúdo sobre:
Huangshan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.