Bruna Toni/Estadão
Bruna Toni/Estadão

Conheça o maior navio do mundo

O Symphony of The Seas, que parte hoje para sua primeira viagem, tem altura equivalente a um prédio de 24 andares, e ficará alocado nos mares do Caribe. Visitamos a embarcação - e contamos o que mais nos chamou a atenção a seguir

Bruna Toni, Barcelona

07 Abril 2018 | 12h30

É um navio. Mas seria justo dizer que às vezes parece um shopping center, noutras um parque de diversões e quase sempre um complexo gastronômico. Maior do que todos os seus pares no mundo, o Symphony of the Seas, nova embarcação para cruzeiros da Royal Caribbean, parte hoje (7) para sua viagem inaugural. Saindo do porto de Barcelona, na Espanha, o cruzeiro segue por França e Itália, num roteiro de sete noites.

A rota pela Europa, porém, existirá apenas até outubro: o destino oficial do maior navio do mundo são as águas do Caribe, onde navegará a partir de novembro – três noites custam a partir de US$ 374 por pessoa, em cabine dupla.

As medidas. São 228.081 mil toneladas brutas de embarcação, cujas medidas alcançam as marcas de 72,5 metros de altura – equivalente a um prédio de 24 andares –, 65,6 metros de largura e 362 metros de comprimento (38 metros maior do que a Torre Eiffel deitada). Os números continuam impressionando quando olhamos sua parte interna: 24 elevadores para hóspedes; 18 deques; 42 bares e lounges com 184 barmen; 25 paradas gastronômicas. Por isso, a sensação quando se entra no navio é a de “vou me perder aqui facilmente”. 

Bares e decoração. A entrada é um grande pátio que reúne de joalheria a cafés e bares interessantes, como o Bionic Bar, onde dois robôs são responsáveis por preparar o drinque. A decoração mais despojada e menos carregada (algo marcante em cruzeiros) também chama a atenção. No Symphony, há espaço para obras de arte contemporâneas, entre fotografias e esculturas. Isso significa que, desde o começo, você já terá ideia do que verá pela frente: investimentos alto em tecnologia, opções (muitas) de compra e entretenimento, além de um projeto arquitetônico e decorativo que, de certa maneira, foge em alguma medida aos estereótipos de navios.

Tecnologia. A promessa de um “Wi-Fi super-rápido”, como descrevem seus diretores, é uma das apostas para atrair o público que não pretende ficar desconectado nem nas férias, incluindo neste grupo a geração de millennials, claro. A tecnologia, aliás, chega aos passageiros antes do embarque. Por meio de um aplicativo, o Royal Caribbean International, é possível fazer check-in antecipadamente, diminuindo o tempo de espera na fila e dispensando o uso do cartão de embarque de papel. 

Durante a viagem, o app personalizado para o passageiro indica a programação do navio; permite fazer reservas em atividades pagas à parte e em restaurantes; mostra o mapa dos 16 andares do navio; soma seus gastos na viagem pagos com cartão; e conta com atividades interativas como o X-Ray Vision, que mostra em tempo real bastidores como a sala de comando. Disponível para Android e iOS.

Gastronomia. No campo da gastronomia, o Symphony segue os passos do seu “irmão” Harmony of the Seas (que era o maior navio até a construção do Symphony). Restaurantes como o Park Café e o Jamie’s Italian, ambos na área verde batizada Central Park, também estão na nova embarcação, mas há novidades como o Hooked, com frutos do mar e peixes frescos e decoração marítima, e o mexicano El Loco Fresh, numa área aberta, coladinha ao mar. Outra novidade é o Playmakers Sports Bar, ótimo para uma cervejinha enquanto o jogo (seja qual ele for) está rolando na TV.

Cabines. Suas 2.759 cabines para até 6.780 hóspedes podem ser com vista para o mar ou para a área interna. Os tamanhos variam muito, mas em um quarto clássico cabem até quatro pessoas – duas em cama de casal e duas em sofá-cama. O diferencial do Symphony é que, além das cabines gigantes, com mais de uma suíte, há uma construída e decorada para uma família com crianças, para até oito pessoas: colorida, com espaço para jogos e um tobogã ligando o andar superior ao inferior. 

Lazer. Esportistas e radicais podem curtir a tirolesa; o tobogã com tapete ou os toboáguas, além do simulador de surfe. Se não for sua praia, há sempre o cassino ,e é possível ainda reservar um horário no Escape Room (em que os participantes seguem pistas para sair da sala) (pago à parte). Para as crianças, há salas de jogos eletrônicos e de tabuleiro e outras atividades em espaços exclusivos. Todos os estilos, porém, se reúnem nos shows de patinação no gelo, dança sincronizada e malabarismo dentro d’água, ou em espetáculos como o musical da Broadway Hairspray. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.