Felipe Mortara|Estadão
Felipe Mortara|Estadão

Descubra Miami pelo estômago

Acompanhado por um guia, siga a pé por endereços cheios de sabor

O Estado de S.Paulo

24 Maio 2016 | 02h50

Faça um almoço leve, coma pouco e em intervalos regulares. Ah, e caminhe bastante. Não, não é nenhuma dieta, mas um sincero conselho para descobrir Miami pelo estômago. Em uma cidade com farta oferta gastronômica, somada à intensa diversidade cultural, embarcar numa caminhada culinária entre edifícios art déco, com informação e comida de boa qualidade não é uma ideia nada desprezível. 

Descobrir um destino pelo paladar não é novidade, mas em Miami faz sentido. Experiências apetitosas e temáticas por bairros como Little Havana, Wynwood e South Beach são o negócio das empresas Miami Food Tours e Miami Culinary Tours; preços de US$ 59 a US$ 69.

Pontualmente às 17 horas de uma quinta-feira, a divertida guia Lisa, da Miami Culinary Tours, iniciava sua caminhada de quatro quilômetros por South Beach, em cinco paradas, com um grupo de 14 pessoas. O ponto de encontro foi o Manolo, no 685 da Washington Avenue, filial americana de um restaurante argentino que serve saborosos churros – provamos um de chocolate e um salgado, bem interessante.

Andamos duas quadras rumo ao norte e alcançamos o Bolívar, restaurante latino que, ao som de salsa, nos serviu um exótico (para dizer o mínimo) refago, coquetel de Fanta com cerveja Águila. Se a bebida dividiu opiniões, houve consenso absoluto quanto ao ceviche de peixe branco e a imbatível empanada colombiana, com casquinha crocante. 

Ainda no clima de latinidade, em plena Ocean Drive visitamos o Larios On The Beach, restaurante da cantora cubana Glória Estefan, ícone do sucesso imigrante em Miami, e de seu marido Emilio Estefan. No ambiente clean com inspiração subaquática, descobrimos que o pai de Glória foi chef de cozinha da presidência cubana e que a deliciosa carne de panela com banana frita que comemos lá era uma receita do patriarca. 

Entre uma e outra explicação sobre os primeiros edifícios de South Beach e o poder do estilo art déco, chegamos ao The Tides Hotel. Não se indigne com a parede decorada com cascos de tartarugas, pois são falsos – e de mal gosto, é verdade. Mas saiba que Frank Sinatra e Al Capone frequentavam o Coral Room, anexo à recepção. A comida também não é nada falsa, conforme atestou o tostone – bolinho de banana frita – servido com cerveja. 

Por último, a sobremesa. Encravada na Española Way, uma ruela para pedestres cheia de vida entre a Collins e a Pensilvania Avenue, a Milani Gelateria tem ar futurista, mas serve um tradicional gelato italiano, feito à base de leite ou água. Não se culpe, você já terá concluído a malhação do dia.

Mais conteúdo sobre:
MiamiFlórida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.