Deserto em cores

O ambientalista e escritor americano Edward Abbey descrevia Canyonlands como o "lugar mais estranho e maravilhoso do mundo". Hoje, é impossível falar do parque sem citar a história do alpinista Aron Ralston, que em maio de 2003 ficou preso em um cânion e teve de amputar o próprio braço para sobreviver - incidente que virou tema do filme 127 Horas.

O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2012 | 02h11

A paisagem é desértica, mas não padece da ausência de cores. As rochas, que alternam tons de branco, rosa, laranja e marrom, se misturam às matizes dos Rios Colorado e Green, azulados nas manhãs de outono, esverdeados nas tardes de verão. Estendido entre as mais procuradas corredeiras do país, Canyonlands é um desafio para botes e caiaques. No fim do verão e início do outono, porém, o nível das águas pode estar baixo demais para o rafting.

Canyonlands é dividido em quatro regiões. A de acesso mais fácil é Island in the Sky, com impressionante visão geral de pináculos, mesetas e cânions - as outras áreas são Needles, Maze e Rivers. Outra atividade popular é montar a cavalo e vagar pelos cânions, tal como o bando de Butch Cassidy. Para os mais urbanos, as distâncias do parque podem ser vencidas em veículos 4X4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.