Mônica Nobrega/Estadão
Mônica Nobrega/Estadão

Dessau: à luz da fluidez

É possível visitar o complexo arquitetônico que abrigou a escola na cidade e até pernoitar nos quartos onde dormiam seus alunos

Mônica Nóbrega, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2019 | 03h50

Uma alameda margeada por construções baixas, de fachadas envidraçadas e tetos planos, une a estação central de trens de Dessau ao Bauhaus Building. Chegando por este caminho, o primeiro contato com o complexo símbolo da Bauhaus são as varandinhas da residência estudantil. Minúsculas, elas protagonizaram ao longo dos anos um bom número de fotos de grupos de jovens espremidos em menos de 2 metros quadrados. Era uma celebração da conquista de estar ali. 

Com 28 estúdios individuais com cama, armário, prancheta de trabalho e lavatório – banheiros são compartilhados –, a residência estudantil recebia os melhores na época em que a Bauhaus se mudou para Dessau e tinha cerca de 200 alunos. Hoje, é possível pernoitar nestes quartos, por 40 a 65 euros por noite. 

O Bauhaus Building foi projetado por Gropius seguindo uma estrutura modular não hierarquizada. Não dá para dizer qual é a frente do complexo. O bloco dos ateliês é o das janelas envidraçadas do chão ao teto, que permitem a entrada de luz natural. Uma ponte suspensa também envidraçada une esse bloco a outro, onde fica o escritório de Gropius, visitável. As costas do teatro têm paredes móveis que podem se abrir completamente para a cozinha, ampliando um espaço ou outro, segundo a necessidade. 

A 10 minutos dali está o bosque onde foram construídas as residências dos professores da Bauhaus. Wassily Kandinski (1866-1944) e Paul Klee (1879-1940) ocuparam uma mesma casa, dividida em duas, e com plantas espelhadas. A de Kandinski tem pinturas internas em tons de branco, preto e prateado. Já Klee coloriu suas paredes com cores primárias. Em ambas, os quartos são pequenos e os estúdios de trabalho, enormes.

Gropius dirigiu a Bauhaus até 1928. Antes de deixar a escola, projetou o conjunto habitacional popular Törten Estate, que atualmente atrai a classe média. Uma casa de três quartos, com sala e cozinha integradas, custa de 60 mil a 80 mil euros (de R$ 250 mil a R$ 350 mil). 

Vida na varanda

O arquiteto suíço Hannes Meyer (1889-1954) sucedeu Gropius na direção da Bauhaus, até 1930. Em Dessau, Meyer projetou as “casas com acesso pela varanda”, que levaram ao extremo a exigência de funcionalidade. Esses prédios de tijolinhos têm unidades individuais de 48 m²; tudo o que não fosse estritamente privado ficou fora dos apartamentos, como lavanderia, jardim, depósitos. 

Depois de Meyer, e até seu fechamento, a Bauhaus teve como diretor Ludwig Mies van der Rohe (1886-1969), outro pioneiro da arquitetura moderna. O autor da famosa cadeira Barcelona, hoje um clássico das salas de espera, aprofundou o diálogo da Bauhaus com a indústria, enfatizando o papel da arquitetura de responder com rapidez e eficiência os desafios do morar na era industrial: era preciso construir rapidamente casas para a classe trabalhadora e mobiliá-las da forma mais funcional possível, em grande escala. Essa história será aprofundada em Dessau com a inauguração, em setembro, de mais um museu dedicado à Bauhaus. 

Terminamos o dia com um jantar no espetacular restaurante Kornhaus. Espetacular não pela comida, apenas razoável, mas sim por causa da arquitetura, do professor da Bauhaus Carl Fieger (1893-1960). O salão principal é um módulo redondo todo rodeado por janelas de vidro que deixavam ver o Rio Elba iluminado pelo pôr do sol. Neste ponto, as margens do rio são cobertas por amplos gramados e quase nenhuma construção. O cenário é perfeito para fotos que, como as dos estudantes de antigamente, celebram a alegria de estar aqui. 

O que mais ver em Dessau

Jardim do Reinado de Dessau-Wörlitz

A Unesco incluiu esse jardim real em sua lista de patrimônios no ano 2000. Com 145 km² (para se ter uma ideia, o Central Park de Nova York tem 3,5 km² e o paulistano Ibirapuera, 1,6 km²), inclui margens do Rio Elba, além de lagos, pontes e gramados. 

 

Cervejaria Brauhaus

Cerveja local, comida alemã e decoração de pub fazem deste um bom endereço para a happy hour ou o jantar em Dessau. Diariamente, há um tipo de cerveja em destaque, além de programação musical em datas selecionadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.