Destinos ao sabor do vento

Pedimos para cinco chefs darem sua receita turística dos principais portos desta temporada

Rafael Mosna, O Estado de S. Paulo

26 Agosto 2014 | 11h28

 

SALVADOR - Temperada por Tereza Paim Casa de Tereza, Salvador

Tereza Paim valoriza a culinária e a cultura de sua terra. Por isso, seu roteiro por Salvador leva a lugares com a essência da capital baiana. “Um bom começo para quem vem em um cruzeiro é subir o Elevador Lacerda, a poucos minutos a pé do porto, e sair no centro antigo”, sugere. “O Pelourinho tem uma riqueza que se confunde com a história do Brasil. Suba a rua das galerias de arte que liga essa região ao Carmo e visite o convento. Sugiro tomar um café logo em frente, no Caffelier (cafelier.com.br), debruçado sobre a Bahia de Todos os Santos.”

Por ali, ela indica ainda o Museu da Misericórdia (www.scmba.org.br) e as igrejas de São Francisco e da Ordem Terceira de São Francisco, “onde está a maior coleção de azulejos portugueses fora de Portugal.” 

RIO DE JANEIRO - Na mistura de Flavia Amorim Amorim Chéri, São Paulo

Embora a chef confeiteira tenha saído do Rio em 2008, o Rio ainda não saiu dela. Sempre que pode, Flavia dá um pulinho em sua cidade natal. “Pra mim, é impossível ir ao Rio e não visitar o Cristo Redentor. Gosto de fazer o passeio pela Estrada de Ferro (corcovado.com.br), inaugurada em 1884 por d. Pedro II.”

Se preferir algo perto do porto, vá ao recém-aberto MAR (Museu de Arte do Rio, na foto; museudeartedorio.org.br). Outro bom programa cultural é o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil; culturabancodobrasil.com.br). “O prédio, de linhas neoclássicas, é lindo.” Para finalizar, café na Confeitaria Colombo (confeitariacolombo.com.br) ou uma visita ao Mercado Municipal (www.cadeg.com.br/mercado-municipal-rj), em Benfica. “Ali, todo dia é dia de bacalhau!”. 

BUENOS AIRES - Ao gosto de Tomas Peñafiel Almodovar, São Paulo

Torcedor do San Lorenzo, mesmo time do papa Francisco, o chef Tomas Peñafiel mantém um apartamento em San Telmo, onde se hospeda nas férias, mesmo tendo saído de Buenos Aires há alguns anos. Quem chega à cidade em navios normalmente não tem muito tempo para explorar tudo com calma. Por isso, Peñafiel sugere os ônibus turísticos para quem vai à capital argentina pela primeira vez. “Ele leva aos pontos principais de Buenos Aires, você desce onde preferir”, diz. E é bem mais barato que as excursões oferecias pelas companhias. Informe-se: buenosairesbus.com. 

Se o desembarque ocorrer no domingo, no entanto, o chef indica ir direto à feira de antiguidades da Plaza Dorrego, em San Telmo (foto) – um clássico. Outro é “dar um rolê” em Puerto Madero, conhecido por seus prédios espelhados e suas opções gastronômicas, como a parrillada. 

Os mais atléticos podem alugar uma bicicleta e percorrer a Costanera Sur (avenida costeira), que contorna o Rio de la Plata. Se quiser fazer como os portenhos, Peñafiel sugere que um passeio a Palermo inclua o Hipódromo (www.palermo.com.ar). 

“Em dias de semana, aconselho ir à Plaza Francia. Pertinho estão o Museu de Bellas Artes (mnba.gob.ar) e o Palais de Glace (palaisdeglace.gob.ar), onde sempre rolam exposições interessantes.”

ILHABELA - Servida por Renata Vanzetto Marakuthai, São Paulo e Ilhabela 

A jovem chef de 25 anos se mudou para Ilhabela aos seis meses de vida e por lá abriu seu primeiro restaurante, o Marakuthai, que ganhou uma filial paulistana dois anos depois. Para quem desembarca em Ilhabela, a chef, segundo suas palavras, tem “nove dicas certeiras”. Vamos a elas: 

“Comer a casquinha de camarão do tradicional Viana (viana.com.br); curtir praia (claro), como a sossegada Julião ou badalada da Armação; tomar um café, acompanhado de um pavê de chocolate no Ponto das Letras (pontodasletras.com.br); incluir em suas compras as camisetas superengraçadas da Moolata na Summer House (www.summerbiquinis.com.br), no centro; conhecer a Igreja da Matriz de Nossa Senhora da Ajuda, de 1806; visitar uma das 364 cachoeiras que existem na ilha (recomendo a Cachoeira da Toca); fazer aula de kitesurfe; tomar uma sangria de pisco no bar MeGusta (também de Renata); e provar a torta de maçã do Donabella (donnabella-ilha.com.br), uma das melhores sobremesas da vida.”

BÚZIOS - Digerida por Christopher Cabicieri Chef do Zuza, em Búzios

Zuza é o apelido de Christopher Cabicieri, chef carioca que vive em Búzios desde 2007. Segundo ele, as praias que estão próximas ao cais de desembarque dos navios, como João Fernandes (foto), Azeda e Azedinha, Armação e do Canto, são boa pedida. “É possível ir a pé ou pelos táxis marítimos”, indica. “As do lado oposto, como Ferradura, têm águas calmas, ideais para mergulho com snorkel, que pode ser alugado por ali mesmo.”

Búzios não é Búzios sem um passeio pela Orla Bardot, repleta de ótimos restaurantes, onde fica a famosa estátua de Brigitte Bardot. E, claro, uma caminhada pela Rua das Pedras, cheia de grifes e também próxima ao cais. “Se a ideia é tomar uns drinques com vista para o mar, recomendo a praia Brava. Lá, os bares possuem tatames que ficam na encosta.”

Se o horário de retorno ao navio permitir, Zuza sugere seguir para a praia de Manguinhos. “Além de ótimos bares e restaurantes, tem o pôr do sol mais bonito de Búzios. Recomendo vê-lo do Porto da Barra, local urbanizado em frente ao mar, em área de manguezal.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.